Total de visualizações de página

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

MEU REINO POR UM CANDIDATO A SENADOR

Em quem vou votar para senadores este ano? Na eleição passada foi fácil: votei em Jandira Feghali. O pior é que tenho que votar em dois candidatos. Quem? Por favor, me iluminem.
Picciani? Sem comentários. Nem que o meu amigo Zé Luiz me peça o voto.
César Maia? Seria, talvez, a melhor opção não estivesse ele no DEM defendendo o indefensável.
Crivela? Se eu votasse nele me sentiria votando no Edir Macedo da IURD.
Lindberg? Até votaria nele para deputado estadual, mas pra senador não dá.
Milton Temer? Esse tem história. Foi um oficial da marinha cassado pela ditadura. Passou a atuar como jornalista, teve que se exilar na França. Foi eleito pelo PT deputado estadual (1987-1991) e deputado federal (1995-2003). Na Câmara Federal, foi um dos mais atuantes na oposição aos governos FHC. Em 1990 concorreu ao Senado Federal sem sucesso. Rompeu com o PT em 2003 após discordar da política econômica do governo Lula. Infelizmente, pisou na bola, queria ser coerente com o discurso oposicionista e caiu no ostracismo do PSOL.
Marcelo Cerqueira? Tem ainda mais história. Participou do movimento estudantil contra a ditadura, depois foi defensor de presos políticos, denunciou a tortura, foi preso, sofreu atentados a bomba, foi eleito deputado federal pelo MDB, candidatou-se a prefeito do Rio tendo João Saldanha como vice, em 1986. Trocou de partido. Candidato pelo PSB, foi um dos dez candidatos a deputado federal mais votados no Rio de janeiro. Como o partido não alcançou o coeficiente eleitoral mínimo exigido pela legislação para a representação no Congresso, não pode assumir o mandato. Lutou contra a privatização da Vale, entre outras ações. Votei nele para federal, mas, agora, renegando seu passado, está com Serra. Não dá.
Os outros candidatos são ilustres desconhecidos.
Resta somente o meu amigo Wladimir Mutt (PCB), funcionário de carreira da Petrobras, companheiro lá de Bangu, gente boa, camarada, tem ideologia. Não é candidato para vencer, é apenas para o partidão marcar posição e medir sua influência no eleitorado. Votarei nele.
E quanto ao outro voto para senador o que faço? Gostaria de ter um candidato como este do vídeo abaixo que sabe como tratar os jornalistas da imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta. Eu não estaria nessa dúvida atroz.

2 comentários:

leila castro disse...

Você entrega seu reino por um candidato e, eu humildemente já me contentaria com a esperança de acertar em minha escolha.

Eu só posso votar em Marcelo Cerqueira e Milton Temer, mesmo com a esperança não passando de um fiozinho bem esticado, prestes a arrebentar.

LACERDA disse...

Gostaria de votar neles, mas não consigo perdoar quem renega o seu passado e abandona uma luta por coerência com opiniões ultrapassadas. Nem quem renega o seu passado e se associa com quem representa o retrocesso.
Anular um voto não vou. Acabo votando no Lindberg, além do Mutt.
Como você vê, não voto apenas em quem vai vencer a eleição.