Total de visualizações de página

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

DEBATE DA BAND

Não se fazem mais debates como antigamente onde só faltava correr sangue. O de ontem foi extremamente civilizado para o meu gosto.
Quem ganhou o soporífero debate de ontem? Foi a Globo com a semi-final da Libertadores – transferido de quarta para quinta-feira - com 36% de audiência contra 6% da Bandeirantes.
O que ficou de relevante foi a postura do Serra: educado, civilizado, meigo, embora falso e patético nas considerações finais quando fez tudo para verter lágrimas de crocodilo. Disse que não faz política olhando pelo retrovisor mas insistiu nos mutirões da saúde. Foi doce com a Dilma – a quem exaltou – elogiou Lula e as ações do governo.
Logo ele que, pelas costas, ofende a Dilma e o PT e aprova as calúnias levantadas pelo seu vice. Por que não aproveitou a oportunidade e levantou a questão dos dossiês criados pela imprensa cínica, corrupta, sórdida, demagógica e mercenária? Covardia? Além de mentiroso, Serra é covarde quando está cara a cara com aquela que ele ofende pelas costas.
Com a experiência que tem de inúmeros debates anteriores, Serra deveria ter massacrado a “despreparada” Dilma que ele dizia fugir dos debates por falta de experiência.
Marinheira de primeira viagem, Dilma ficou tensa no início com o pouco tempo para as respostas, mas deixou claro que é uma administradora competente e com amplo conhecimento das questões abordadas. Teve chances de nocautear o Serra e não o fez por inexperiência em debates. Em suas considerações finais, porém, foi brilhante como demonstra o vídeo abaixo.
A Osmarina também estava nervosa - saltitando quando falava - mas tentou ser convincente em seus argumentos. E o Plínio foi ao debate apenas para fazer gracinhas e radicalizar. A verdade é que todos falaram uma linguagem tecnocrata que o povão não entende.
Todos eles têm muito o que aprender com Lula e sua incrível capacidade de falar para o povo.

3 comentários:

leila castro disse...

Agora, você não pode negar que o Plínio, conseguiu ser conhecido pelo povão e povinho. Conseguiu também ser notado por alienados e "alienígenas".

Quanto ao Serra, você falou tudo! Aquilo que já era claro, ficou mais evidente.
Osmarina, realmente ficou tensa, mas como sempre trabalhou, é professora, já tem a experiência do Senado e sabe o que diz, se saiu um pouco melhor. Pena que só estavam interessados nos favoritos.

Você disse que fiz como a Globo na edição do debate do Collor e Lula, mas você só colocou o vídeo da Dilma e mesmo assim, depois dela ficar mas aliviada de ter acabado seu tormento de tentar ser o que não é.

LACERDA disse...

Leila,

O Plínio não soube envelhecer. Olhava para ele e via o Coringa do Batman. Depois dos quarenta, ninguém tem mais o direito de radicalizar.
Postei apenas a declaração final da Dilma quando ela já estava bem menos tensa depois de sua primeira experiência em debates na TV. Pior é publicar uma edição mostrando apenas as vezes em que ela demonstrou hesitação.
O esquema do debate prejudicou a todos, inclusive aos telespectadores. Nenhum dos outros três debatedores experimentados, também, não conseguiram expor sua argumentação e suas propostas.
Outros debates virão e a Dilma, já escolada, vai mostrar o que realmente é e que parece ser.
Vai justificar os 40% de intenção de votos como a Osmarina ontem justificou os seus 8%.

leila castro disse...

Eu mostrei três vídeos. Só o último apelei para, digamos, a conduta usual de blogueiros, jornalistas, partidos e etc...
O Plínio só radicalizou por não ter comprometimento nenhum com GANHAR, daria até para ele prometer que desapropiaria todas as terras com mais de 80 hectares e que estatizaria até mesmo a Natura. Foi o momento peculiar desta eleição, um novo jeito Enéias de ser.

Agora, lembra das votações de Lula nas campanhas?
1989 - 1o turno 16,08% - lembrando que tínhamos nomes conhecidos e com tradição na política (foi um feito enorme).
1994 - 27,04% Ganhando FHC em 1o turno.
1998 - 31,71% Ganhando FHC em 1o turno
2002 - 46,7% em 1o turno e ganhando com 61,27% no 2o turno.


Sei que sabes isto tudo, mas já pensou se Lula não tivesse insistido? Já pensou o que estaríamos vivendo?
Foi preciso FHC por dois mandatos, para que o Brasil acreditasse em suas origens.
Com Osmarina, será a mesma coisa. Talvez seja necessário passar pelo fake do Lula (Dilma) para que a população perceba que continuísmo sem expressão é tiro no pé.
Só me preocupa, o fato de se eleger uma mulher como Dilma que poderá não corresponder a expectativa popular e associarem um mal governo a capacidade da mulher na política.

Se não tivesse a Osmarina, ficaria sem opção e com toda certeza votaria no fake, pois Serra é retrocesso.

Você sinceramente acredita na Dilma? Ou é somente teimosia em vencer?