Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de julho de 2012

QUEM ESTÁ MENTINDO?

Analisando as informações sobre os candidatos a prefeito de Mangaratiba, contidas no site do TSE – DivulgaCand – chego à conclusão de que alguém está mentindo.
Há mentiras sobre as declarações de bens, sobre os limites de gastos, sobre os programas de governo.
Quanto ao último item, não é bem uma mentira, mas apenas uma falta de consideração com o eleitorado.

O programa mais bem elaborado, demonstrando respeito com o eleitor, é o do Madeira que detalha minuciosamente todas as suas propostas. Um programa de governo muito bem apresentado.
As propostas de governo do Capixaba não têm a mesma apresentação, mas é um bom programa de compromissos concretos e determinados. Assim, também, é o programa da Emília, embora mais restrito.
Já o programa da outra candidata contém apenas os três redundantes itens abaixo.
1. Priorizar as mulheres chefes de família e de baixa renda nos diversos programas sociais do município.
2. Desenvolver programas e atividades de cultura, esporte, lazer destinados às mulheres nos equipamentos públicos municipais.
3. Garantir a consolidação de políticas públicas que garantam a defesa dos direitos dos setores social e culturalmente discriminados.
Espero que ela ainda esteja preparando um verdadeiro programa de governo para incluí-lo posteriormente no DivulgaCand. E que o inclua antes da eleição.
Alguém está mentindo em relação aos limites de gastos da campanha. Quem será?
1. Capixaba diz que vai gastar R$ 1.500.000,00;
2. Madeira calcula gastar R$ 1.000,000,00;
3. Andréia pretende investir R$ 500.000,00;
4. Emília apenas R$ 200.000,00.
Agora, vamos às declarações de bens e vejam se alguém não está mentindo.
1. Emília declarou R$ 800.000 e nada no bolso ou nas mãos;
2. Madeira declarou possuir bens no valor de R$ 676.167,40 e nada em espécie;
3. Capixaba declarou R$ 393.667,85 e nada em espécie;
4. Andréia declarou apenas R$ 208.775,92 com R$ 65.000 em espécie.
Pelo jeito, somente a Emília está melhor de vida do que eu. Eu que tenho somente R$ 25,80 em espécie, isto é, aquilo que eu tenho no bolso.

2 comentários:

leila castro disse...

Quem estará mentindo? Quantos estarão mentindo? Como estarão mentindo? Nos gastos? No patrimônio?

Penso que ali só a Emília está coerente...

Talvez estejam quase todos equivocados e farão as correções necessárias.

Anônimo disse...

Hoje em contato com a secretaria de transito de Mangaratiba, para solicitar autorização para entrada na cidade de um grupo de turismo, fui atendida pelo sr Lopes que me orientou quanto ao procedimento ser tomado.
Ao retornar ligação para solicitar esta autorização ao pedir para falar com o Lopes o sr que me atendeu, simplesmente me tratou com uma ignorância, falou que o Lopes não sabia de nada, não autorizava nada, que eu também não tinha que saber de nada, quem sabia era ele (e muitas coisas mais). Este senhor foi identificado pelo Lopes como João Luiz – superintendente da secretaria de transito.
Além de toda ignorância sem sentido que no mesmo momento perguntei a ele porque de tudo aquilo, se eu estava fazendo o que me foi orientado, este senhor desligou telefone sem ao menos terminar o meu atendimento (no popular desligou na minha cara), me mandou para o inferno.
Na terceira ligação falando novamente com o Lopes, escutava o sr João Luiz aos gritos que não iria autorizar meu grupo, que não tinha mais vagas.
Alguma posição tem ser tomada contra isso, a secretaria de transito de Mangaratiba, não é a residência dele que ele pode fazer o que quer, inclusive palavras que ele próprio utilizou que ele não deve satisfações a ninguém.

É uma postura inadmissível, cometida por um agente publico, durante o exercício de função; uma pessoa que está tratando de assuntos de interesse do município e não de interesse próprio; este senhor João Luiz está usando de abuso de poder, improbidade administrativa.


Atenciosamente,
Karolina Rocha