Total de visualizações de página

sábado, 8 de maio de 2010

MATÉRIA PAGA

Publicada, hoje, em O Dia (ipsis litteris):
Prefeito de Mangaratiba recebe um prêmio por qualidade de gestão
Aarão de Brito foi agraciado pelo IBVG

Mangaratiba - A transparência nos gastos públicos e o uso eficaz dos investimentos no ano passado renderam ao prefeito de Mangaratiba, Aarão de Moura Brito Neto, o reconhecimento do Instituto Brasileiro de Verificação de Gestão (IBVG), que o agraciou com o título de Gestão Qualificada. Único prefeito do Rio de Janeiro a ser agraciado durante o IV Seminário IBVG sobre Gestão Pública Municipal, realizado esta semana em São Paulo, Aarão recebeu a premiação com outros representantes de 14 estados brasileiros.
Para o prefeito Aarão, o reconhecimento do IBVG é fruto de um trabalho, no qual a população de Mangaratiba é prioridade dele e de sua equipe. “Os prêmios que conquistamos na Educação, na Ação Social, na qualidade urbanística e agora este, pela qualificação de nossa gestão, é um esforço contínuo meu e do meu secretariado em valorizar o ser humano, o morador da nossa cidade”, afirmou. O superintendente de Comunicação de Mangaratiba, Felipe Barreto, também participou da cerimônia.
O presidente do IBVG, Magno Figueiredo, disse que é notório o crescimento de Mangaratiba no cenário estadual. Para que o município recebesse este prêmio, Magno conta que foram realizadas diversas pesquisas sobre a administração de Aarão de Moura. “Tomamos cuidado em escolher com todo critério e isenção qual município iríamos homenagear. Não seria de bom senso para o IBVG, por exemplo, agraciar uma cidade cujo prefeito é malquisto pela população”.
O prêmio é pago para ser recebido e pago para ser divulgado. Foram quatro prêmios. Quanto custou a farra com o dinheiro que eu pago de impostos?
Quem pode me responder? Fabrício, conto contigo. Pergunte ao Ministério Público.

12 comentários:

leila castro disse...

Lacerda,

Eu iria dar continuidade a sua postagem sobre este prêmio, pois recebi vários emails iguais de funcionários que se revoltaram com a propaganda recebida.

"Comunicação Prefeitura de Mangaratiba"
Para:pmm@mangaratiba.rj.gov.brAssunto: Aarão recebe prêmio por gestão de qualidade em 2009

Release

Aarão recebe prêmio por gestão de qualidade em 2009

Instituto Brasileiro de Verificação de Gestão reconhece trabalho eficiente da Prefeitura de Mangaratiba"

E daí, é o texto que você publicou.
Estamos precisando mesmo do Fabrício!

O pior é a desfaçatez desta administração e a passividade da população que anda precisando de vozes para matar o silêncio de nossas gargantas.

Da mesma forma que denunciamos os outros prêmios, agora estou divulgando também este email da prefeitura para que também façamos nossas denúncias de repúdio ao IBVG e a Fundação Getúlio Vargas.

E para completar o email da prefeitura, segue o texto:

"Especialistas da FGV palestram sobregestão municipal

O seminário contou com palestras de especialistas em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas. Paulo Emílio Martins fez um ensaio sobre duas situações extremas numa administração municipal: um governo essencialmente tecnocrata,isto é, fechado e sem consultar a população, e outro sem liderança, ou seja,totalmente comunitário. Para o especialista, uma administração eficaz deve mesclar aspectos de ambas as situações. Já José Cesar Castanhar fez um alerta sobre a necessidade dos prefeitos em estimular a prática do empreendedorismo local para gerar empregos e receita."

O prefeito e seus assessores deveriam ter vergonha de enviar um texto deste para seus funcionários, pois só nos faz corroborar o que já sabemos. Fraudes, fraudes e desprezo por sua população.

Paulo Fabricio disse...

Lacerda, Leila
Voces ja ouviram alguma vez os seguintes nomes:

- Instituto Ambiental Biosfera?
- Instituto Brasileiro de Estudos
Especializados?
- Dalupe Produções Ltda?
- Dalupe Group Editorial?
- Forum Nacional de Prefeitas?
- Premio IBGV Top List de Marcas?
- Seminários para vereadores?

Vocês sabem que o IBVG é presidido pelo jornalista, radialista, produtor cultural e editor Magno Figueiredo ?.

Que o IBVG é um instituto jovem, dinâmico, que visa colaborar com gestão pública e privada, não apenas com a busca permanente de avaliação através de pesquisas, mas também oferecendo seminários, congressos e fóruns capazes de contribuírem para a valorização e o aprimoramento da gestão pública e privada?

Que o presidente Magno pode ser encontrado no e-mail : ma.figa@hotmail.com ou nos telefones: celular (11) 86269512 e
fixo (11)28622021 - Rua Tabapuã 594ITAIM-BIBI - SP. SP. Cep: 04533-014

Vocês sabem que a Dalupe Produções CNPJ 05761143000130, é uma empresa que atua há 30 anos no mercado brasileiro de editoria, eventos e promoções culturais?

Voces sabem onde querem que eu meta o bico? E se dizem meus amigos?

PÔ....

Meu nome tem as iniciais PF de Paulo Fabricio , não de Policia Federal.

Paulo Fabricio disse...

Lacerda, veja esta materia
que saiu na Folha On Line

VOU DIVIDIR EM DOIS COMENTARIOS

25/04/2010 - 08h37
Por até R$ 7.000, institutos cobram para premiar empresas
Publicidade
RICARDO GALLO
da Reportagem Local

Como uma empresa de qualquer porte faz para receber um prêmio de melhor em seu setor? Em muitos casos, paga.

PF investiga golpe do falso prêmio que usa nome do MEC

Por até R$ 7.000, institutos e associações cobram para premiar empresas de todo o país, em categorias que vão de "Melhor Tratamento contra Estrias 2009" a "Destaque no Segmento Elétrico", entre outras.

Os critérios de escolha são vagos. Em geral, os organizadores dizem seguir indicações de clientes, fornecedores e conhecidos da eleita. Quem se diz baseado em pesquisas de opinião não se dispõe a mostrá-las.

As vencedoras são procuradas pelas entidades e informadas de que ganharam o prêmio. A entrega se dá em jantares. Ganha-se troféu e/ou certificado, mais selos de "qualidade".

A abrangência extrapola a fronteira brasileira: há prêmio que homenageia destaque do Mercosul e da América Latina.

À Folha ao menos seis empresas admitiram cobrar dos premiados. Nenhuma, porém, trata o prêmio como pago --é "adesão" ou "contribuição".

Parlamentares

Uma das mais conhecidas é a OPB (Ordem dos Parlamentares do Brasil). A entidade promove o "Top of Quality" e o "Top of Quality Ambiental".

O prêmio custa R$ 4.500. Oficialmente, são 1.500 cartilhas para projetos sociais, a R$ 3 cada. Mas pode chegar a R$ 7.000, conforme recibo obtido pela Folha. Apesar do nome, a entidade diz não ter relação político-partidária. O presidente, Dennys Serrano, é 38º suplente de deputado federal pelo PSB (1.296 votos em 2006).

Outra a oferecer prêmio é a Abach (Academia Brasileira de Arte, Cultura e História), com sede no Morumbi (zona oeste). São R$ 5.000 pelo "Prêmio Qualidade São Paulo", disse seu representante a uma escola.

Aos potenciais premiados, a associação envia memorando com selo da Secretaria de Estado da Cultura --que disse estar surpresa e investigaria o caso.

Recorrer a autoridade para dar autenticidade ao prêmio é expediente comum. O Cicesp (Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo) instituiu a "Cruz do Mérito do Empreendedor Juscelino Kubitschek" (R$ 5.980). "Nunca soube que a comenda era paga", disse Maria Estela Kubitschek, filha adotiva do ex-presidente, que já recebeu a comenda.

O valor do prêmio inclui joia banhada a ouro com rubis e esmeraldas, um certificado da "Soberana Ordem JK" e dois convites para um jantar em Brasília --a solenidade será na sexta (30). Segundo o presidente Regino Barros, a entidade é como um clube, que vende títulos de sócio. Ainda assim, há, segundo ele, rigor nas indicações.

A Folha conversou com um empresário de 39 anos que tem 11 prêmios --pelos quais pagou até R$ 2.000. "90% dos prêmios são pagos. É utopia pensar que não tem custo", disse, sobre jantares em hotéis de luxo, fora o "ambiente gostoso".

Ele usa as solenidades ("há gente boa e gente ruim nesse setor") para fazer negócios. "Troco cartões com gente com quem eu nunca teria acesso."

O benefício chega a ser cem vezes superior ao custo. "Tanto é que cancelei anúncios da minha empresa em revistas."

Por ser habitué dos eventos, não param de chegar convites, diz. "Nos últimos três anos já recusei 20." Ele foi convidado ou participou de solenidades de três entidades citadas.

Paulo Fabricio disse...

Lacerda,

SEGUNDO COMENTARIO.

"Um prêmio você institui para quem tem qualificação, para quem merece", diz Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste, entidade de defesa do consumidor. "Além de ser antiético, induz a consumidor a escolher uma empresa porque ela ganhou um prêmio que, na verdade, só pode ser concretizado pelo pagamento."

Outro lado

Dennys Serrano, presidente da OPB, diz que o valor cobrado corresponde à impressão de cartilhas de combate às drogas.

O primeiro valor que ele disse à Folha foi de R$ 1.200; depois, falou em R$ 4.500. "Por tudo o que ele [empresário] vai receber em troca e o retorno de marca que ele tem é insignificante." Sobre o recibo de R$ 7.000, disse que o valor era muito acima do estabelecido pela OPB --e que funcionário responsável havia sido afastado.

O Cicesp informou que a cobrança se deve à entrada em uma ordem, como em um clube. O presidente Regino Barros afirmou que um conselho interno indica os premiados.

Gilberto Siqueira, diretor da Abasch, disse que o pagamento é "espontâneo". O presidente Roberto Oropallo afirmou que não sabia da cobrança e que mudaria os critérios. Sobre o selo da Secretaria da Cultura, afirmou ter recebido o título de "Parceiro da Cultura". A secretaria não confirmou.

O ICFU (Instituto Cultural da Fraternidade Universal), que pede R$ 3.600 pelo prêmio de mérito educacional, diz aos premiados que o valor corresponde à impressão de revista de combate às drogas.

Na Abiqua, o Prêmio de Incentivo à Qualidade tem custo de R$ 1.000. O valor, disse o presidente, inclui negócios e palestrantes. "Tem jantar, tem custo", diz Antonio Neto Ladeira.

A Montreal, do Top of Business, cobra R$ 3.900 por adesão. Mas, se houver empresa que não tenha condições de pagar, ela recebe o certificado via correio, disse a entidade, que diz ter critério na seleção dos premiados.NDO COMENTARIO.

Felipe Barreto disse...

Caro Lacerda,

Li com atenção seu blog no que diz respeito à sua postagem baseada numa suposta matéria paga sobre a premiação recebida pela Prefeitura de Mangaratiba.

Conheci o Instituto Brasileiro de Verificação de Gestão num Seminário Nacional de Comunicação Pública, promovido pela entidade no ano passado, em São Paulo. Encontrei nos dois dias de evento nomes reconhecidos nacionalmente por sua credibilidade. Palestrantes como Ricardo Kotscho (ex-assessor de imprensa do Lula), José Nêumane Pinto (editorialista do Estado de S. Paulo e comenatarista político do SBT) e outros jornalistas.

Durante o evento, o pres. do IBVG, Magno Figueiredo, convidou as prefeituras presentes para que se inscrevessem (de forma totalmente gratuita) para concorrer ao Prêmio IBVG de Qualidade de Gestão que seria entregue em 2010. Na ocasião, além de Mangaratiba estavam prefeituras como Seropédica, Paracambi, Miguel Pereira, Itaboraí, Maricá e outras de diferentes estados. Achei conveniente a Prefeitura de Mangaratiba participar e a inscrevi para concorrer ao prêmio. Os técnicos do IBVG analisaram a estrutura da máquina pública municipal e, no início do mês, concederam o prêmio a Mangaratiba.

Diante de acusações infundadas, cabe esclarecer (principalmente ao leitor desse blog que pode formar sua opinião a partir de qualquer coisa que lê):

1. Não existe qualquer matéria paga a qualquer jornal, seja da região ou grandes jornais. Como Superintendente de Comunicação, nós agimos integralmente dentro da lei, com uma agência de publicidade licitada pela Prefeitura. A agência publica anúncios institucionais da Prefeitura elaborados por mim e pela minha equipe como qualquer agente público (governo federal, governo estadual). Por isso, as matérias que saem nos jornais são escritas por mim e pela minha equipe e são publicadas pelos veículos por decisão de seus editores. Aliás, quem quiser receber nosso material (texto, foto, áudio e vídeo) pode mandar um email para comunicacao@mangaratiba.rj.gov.br.
Nós também temos um canal no Youtube (www.youtube.com.br/ComMangaratiba) e você pode nos seguir no twitter, caso tenha: www.twitter.com/com_mangaratiba

A Prefeitura não paga (e não pode pagar) por qualquer matéria.

2. Repito que o prêmio recebido pela Prefeitura não provocou qualquer ônus para os cofres públicos. Tenho inclusive em mãos o documento que convida a Prefeitura a participar da cerimônia, onde não há qualquer menção a valores pelo prêmio.

3. Estou aberto ao debate ético, transparente, claro, acima da linha da cintura, como deve agir qualquer assessoria de comunicação.

Espero que meu comentário seja publicado.

Sem mais,

Felipe Barreto
Superintendente de Comunicação da Prefeitura de Mangaratiba

LACERDA disse...

Caro Felipe Barreto,

Sinto-me sempre honrado quando uma autoridade de Mangaratiba faz um comentário neste meu humilde blog. Sei que o fazem porque veem a seriedade com que escrevo. E quando critico, faço-o com conhecimento de causa.
Conheço muito bem essas obscuras ONGs – e não são poucas - que sobrevivem à custa da distribuição de prêmios trimestrais a tantas cidadezinhas interioranas, a políticos sem imprensa e a pequenos empresários em busca de promoção pessoal, que se dispuserem a recebê-los. Já participei desse tipo de premiações quando estive na Câmara Federal.
Você diz que esses prêmios nada custam? A inscrição é feita gratuitamente? E o processo de escolha, também é gratuito?
Se assim é, quem subvencionou os técnicos do IBVG – tão obscura que nem site possui - que analisaram a estrutura da máquina pública municipal de todas as centenas de cidades inscritas?
“Para que o município recebesse este prêmio, o presidente do IBVG conta que foram realizadas diversas pesquisas sobre a administração de Aarão de Moura Brito” – é o que diz o seu "release". Isso custa dinheiro.
O convite pode não fazer qualquer menção ao pagamento, mas quem paga pelos milhares de prêmios distribuídos, pelas centenas de jantares e pelos artistas que neles se apresentam? Ricardo Kotscho e José Nêumane Pinto nada receberam por suas palestras?
A Prefeitura paga e pode pagar por qualquer matéria publicada. Há uma verba aprovada para propaganda nos três poderes da República. Não há?
E você afirma que não existe qualquer matéria paga a qualquer jornal, seja da região ou grandes jornais? Como Superintendente de Comunicação, você não age integralmente dentro da lei quando faz tal afirmação. Agiria se informasse ao cidadão o custo do seu trabalho e a verba aprovada para tal. Já reclamei aqui neste blog a divulgação do orçamento anual da Prefeitura que não encontrei em lugar nenhum. É um direito meu saber o que a Prefeitura faz ou pretende fazer com os impostos recebidos.
Por exemplo, quanto custou a última edição do jornal local "O Foco" totalmente dedicado à propaganda do governo municipal? Foi de graça?
E você vem falar de acusações infundadas?
Amigo, eu não escrevo "qualquer coisa". Eu escrevo com fundamento e conhecimento de causa.
E abro espaço para quaisquer comentários que são postados imediatamente, sem qualquer censura.
E decidi abrir um outro espaço para você: não aqui, mas na frente do blog. Mande-me, por e-mail, um texto com as razões que justificam os quatro últimos prêmios recebidos que eu publicarei como uma postagem assinada por você. Ficará muito mais visível do que aqui nos comentários.

LACERDA disse...

Ia me esquecendo: vou escrever sobre Piraí, uma cidadezinha menor que a nossa e que nunca recebeu um “prêmio” desses, mas que tem a saúde como modelo de gestão na área pelo TCE/RJ e que é considerada uma das sete cidades mais inteligentes do mundo, em um "ranking" que é organizado pela "Intelligent Community.org", da "World Teleport Association" (WTA), desde 2001. Piraí ganhou as páginas da "Newsweek", em 7/06/04, como modelo de cidade digital e foi também uma das estrelas do livro "e-gov.br: A Próxima Revolução Brasileira", editado no ano passado pela "Pearson do Brasil".

leila castro disse...

Lacerda,

Sem nada a acrescentar, só gostaria que o Sr. Felipe, respondesse a seu comentário!

Outra coisa, será que o IBVG, e/ou os outros Institutos que premiaram Mangaratiba, poderiam nos fornecer os quesitos em que se basearam para tal premiação? Ou quem sabe o resultado destes "estudos técnicos"?
Isto seria muito útil para a população, assim como o MEC faz com o IDEB, quando fornece a metodologia para apuração dos índices nacionais, e que tanta surpresa nos causa, quando comparamos que Mangaratiba ganha tantos prêmios na educação e não consegue atingir as metas estabelecidas na educação básica....

Os municípios que "perderam", estão em condições piores que o nosso? Enfim, gostaria realmente de saber quais são os critérios para esta premiação tão singela e peculiar, que eleva Mangaratiba a tão elevado nível nacional!

Marcos Silva disse...

Sr. Lacerda,

Espetacular essa discursão nesta postagem! Estou sem palavras!

Piraí não recebe esses prêmios porque não precisa fazer inscrição para concorrer a nada.O reconhecimento vem pela prática e não por apelações...

Marcia Maralhas... Superando... disse...

rsrsrsrrs... fazer o quê???? O cara tá fazendo o que pode para conservar seu empreguinho!!!! E embora eu não esteja afirmando que este governo compra matérias ou prêmios, Felipe, tentar entregar diploma de otário para quem é politicamente consciente, é reverter o título de imbecil para si mesmo!

Felipe Barreto disse...

Lacerda,

Respondi suas perguntas ao seu email como você sugeriu.

Creio que o correio eletrônico é realmente uma forma melhor de debate.

Mandei para o email do seu perfil (lacerda777..)

Abraços,

FB

leila castro disse...

Lacerda,

Sinceramente, espero que publique a discusssão que se iniciou publicamente e não particularmente por email.

Isto só seria válido se tudo isto tivesse iniciado como entrevista ao Sr. Felipe e que depois viesse a ser publicada.

Me parece que o assessor só vai responder ao guru de Mangaratiba e, como sempre, a população e suas dúvidas não serão respeitadas.