Total de visualizações de página

sábado, 17 de maio de 2014

50 ANOS, UM SONHO

Era tempo de Brigitte Bardot e Marilyn Monroe, duas louras que no cinema nos encantavam a todos. Quando vi aquela lourinha linda, pensei: é a minha Brigitte. Foi paixão à primeira vista. Fiz de tudo para conquistá-la e nunca mais perdê-la.
Conquistei-a e não conseguia imaginar como pude ter vivido tanto tempo longe daquela menina linda. Ela tão perto, morava numa rua depois da minha, e tão longe dos meus olhos.
Foi o meu Amigo Todo-Poderoso Quem a colocou em meu caminho naquele domingo de sol. Foi no dia 17 de maio de 1964 que encontrei a flor de maio que desabrochou em minha vida. A minha Brigitte que me fez amar a vida e acreditar na humanidade.
Em meu olhar apaixonado a via como um anjo divino e tendo-a nos braços nua, sentia as tentações que somente os demônios podem provocar.
Quase todos foram contra aquela paixão proibida, ficamos isolados. E daí, e daí? Maysa nos apoiava com o sucesso do momento.
Vivemos apaixonados os mais felizes anos de nossa vida. Um dia, porém, não sei quando nem como, nem por que, nos separamos. Ela desapareceu. Mudou-se.
Hoje, após tantos anos, eu sinto saudade. Na verdade, quase morro de saudade. Por onde anda ela? O que fez da vida? Casou-se? Tem filhos? Estaria velha, feia e gorda como a verdadeira Brigitte Bardot? Estaria feliz nos braços de outro?
Parti a sua procura. Perguntei aos amigos e conhecidos. Ninguém sabia dela. Até para o feissibuque eu apelei. Nada.
Será que nunca mais a veria? Não desisto, tenho que encontrá-la.
Saudade é coisa que dá e passa, mas não a saudade que eu sinto dela.
Fiquei desesperado. Como viver sem saber da sua vida.
Quase chorando, sobressaltado, acordei. Olhei pro lado e ali estava ela bonita e loura como sempre esteve há 50 anos.
Abracei-a, dei-lhe um beijo e voltei a dormir tranquilo.
Apaixonado como sempre.


N.L.: Tive este sonho no mês passado e já havia contado pra ela. Decidi narrá-lo hoje em sua homenagem. Só mesmo eu pra ter um sonho assim. Não sou normal, mas sou feliz.

5 comentários:

Leila Castro disse...

Muito bom!

Eduardo,o imbecil disse...

Lindo,Lacerda,também acordei sexualmente com a BB.Que saudade.A mocidade foi.E não volta.Vamos nos concentrar em sacanear uns aos outros,velhos,e murrinhas.

andre quimico disse...

Que felizardo! possui uma boa lembrança de 1964...

Eduardo,o imbecil. disse...

Mocidade é TUDD,mesmo em 1964,eu não sabia,agora sei.Que adianta...Tempos melhores virão,sem Petralhas,eu espero.Já suportamos demais suas...,não sei dizer,faltam-me os adjetivos pertinentes.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Meio século de muito amor! Gostei do texto!