Total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

GUERRA AO TERRORISMO

Agora não mais existe bala perdida. Não mais importa quem matou o bandido terrorista. A imprensa hipócrita não mais defenderá seus direitos nem exigirá que a polícia atue dentro da legalidade. É guerra.

Em cinco dias, são quase cinquenta mortos - acho que se suicidaram - e apenas um inocente atingido. Lamento por ela, uma jovem estudante. Mas, é guerra. Outros sofrerão.
Felizmente, nenhum policial levou um tiro fatal. Se algum morrer que seja um daqueles “laranjas podres” que passam informações e dão guarida e proteção para as bocas de fumo.
É com satisfação que vejo a Marinha entrar nessa guerra terrestre. Se fosse marítima, talvez, o Exército entrasse nela.
“O Exército não ofereceu nada. Nem sei se está de prontidão. Mas, não posso me meter. O que posso dizer é que a Marinha está ajudando” – disse o Secretário de Segurança José Mariano Beltrame – “pedi à Polícia Rodoviária Federal um reforço nas estradas da Baixada Fluminense. Rapidamente eles nos atenderam”.
Muitos pensam que os bandidos reagem às UPPs implantadas, mas não. Os bandidos terroristas apenas mandam um recado às autoridades cariocas: “Não queremos UPPs nos complexos do Alemão e da Maré.”
Quebraram a cara. As polícias civil e militar, junto com a Marinha, acabam de invadir a Vila Cruzeiro e botaram os bandidos pra correr. Com armamento pesado, caçam esses terroristas.
É esse o verbo: caçar. E como não estão caçando passarinhos, a ordem é matar. Eliminar o terror.
Os chefes do tráfico foram estúpidos ao implantar o terror no estado. Agora, a repressão é total, violenta e determinada como deverá ser sempre.
O BOPE saiu das telas do cinema e invadiu as favelas para arrebentar e dominar o território. Eleição somente ocorrerá em 2012, portanto, nenhum político vai combater a hostilidade da repressão. Como disse o coronel comandante do BOPE: “Nós não começamos esta guerra. Fomos provocados a entrar nela e vamos sair vitoriosos.”
O povo trabalhador das favelas conquistadas que não se exponha e ajude a polícia a acabar com o terrorismo. Os pais e mães desses bandidos que façam o “mea culpa” e lembrem-se de que todos eles foram criancinhas indefesas e inofensivas.
Os viciados em tóxico e aqueles que somente o consomem nas festas que assumam a sua responsabilidade.
O povo pacífico e responsável de todo o Rio tenha a certeza de que
as forças de repressão estão no controle.

P.S.: 1) Hoje, no sexto dia, o Exército entrou na guerra. Parece que a Aeronáutica também. Foram presos 192 bandidos. Espero que o judiciário não mande soltá-los.
        2) Um amigo do BOPE me informou, agora, que os bandidos fujões da Vila Cruzeiro não foram metralhados porque a TV Globo transmitia ao vivo a fuga deles. O comandante mandou cancelar a operação de caça para que o massacre não fosse transmitido ao vivo. A bandidagem deve essa à TV Globo.

Um comentário:

leila castro disse...

Sinistro!

Êta lelê! Você deve estar vivendo o inferno astral, igual ao meu!

Mas, vamos a postagem.....

Eu fico apavorada com o que vem acontecendo no Rio, mas sei também que agora, a resposta teria mesmo que ser esta.

Foram anos de políticas públicas para "inglês ver" e quase que daríamos continuidade a isto, com implantações de UPP´s anunciadas dias antes da concretização. Mas, como está escrito na foto da postagem, "Deus está no comando" e a reação dos bandidos, teve como consequencia a mudança na forma de ação da área de segurança.

Espero que não empurrem os traficantes para cá, ou os transportem em segurança para a Costa Verde.

Por aqui, já temos problemas demais.