Total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de julho de 2010

MENTIRAS

Todo mundo sabe que José Serra mente com sinceridade e acredita no que diz. Sua mediocridade é bem intencionada, mas ele poderia fazer uma concessão à inteligência e ver que suas mentiras não se confirmam nos anais da história recente do país. Vejamos alguns exemplos:

Mentira - Serra enfrentou a repressão da ditadura
Na sexta-feira 13 de março de 1964, no comício da Central do Brasil, em que João Goulart defendeu as reformas de base, José Serra, então presidente da UNE e com 21 anos, foi o mais jovem a discursar. Logo depois, consumado o golpe militar, José Serra se refugiou na casa do deputado Tenório Cavalcanti, em Caxias. Após o incêndio da sede da UNE, no Flamengo, pelos militares, José Serra escondeu-se por mais alguns dias na casa de amigos. Depois, refugiou-se na embaixada da Bolívia, e lá ficou durante três meses. Conseguiu fugir para a Bolívia e depois foi para a França, onde ficou até o início de 1965. Retornou clandestinamente ao Brasil em março de 1965. Permaneceu no país alguns meses, mas perseguido, como tantos outros, fugiu novamente. Abandonando os companheiros de luta.
Mentira - Serra criou o programa de combate a Aids
O Programa Nacional de Combate à AIDS foi criado no governo de José Sarney. A distribuição gratuita de AZT, foi uma providência do então Ministro da Saúde, Adib Jatene, no governo Collor. Os governos que sucederam deram força ao programa, mas foi o Dr. Adib Jatene, outra vez Ministro da Saúde, desta vez já no governo FHC, que possibilitou que o Brasil produzisse o AZT.
Mentira - Serra criou os medicamentos genéricos
Em 5 abril de 1993, o decreto 793 de autoria do Ministro da Saúde Jamil Haddad no governo Itamar Franco criou os medicamentos genéricos no Brasil. Jamil Haddad denunciou isto à imprensa, mas por motivos óbvios, não foi ouvido. Segundo Haddad, Serra provocou retrocesso na Lei dos Genéricos e a suavizou para a indústria farmacêutica.
Mentira - Serra pediu que não votem nele
Em 31 de agosto de 2004, no debate da TV Record na campanha para a prefeitura de São Paulo, José Serra se compromete a cumprir os 4 anos de mandato e pedir que não votem mais nele caso renuncie antes da hora. Renunciou para se candidatar ao governo do Estado, portanto, se temos vergonha na cara, o mínimo que podemos fazer é não votar nele.
Mentira - Serra quebrou patente de medicamentos
Ele não quebrou parente de remédio nenhum. O Serra de fato ameaçou quebrar a patente do anti-retroviral Efavirenz, mas foi um decreto assinado pelo presidente Lula, em 4 de maio de 2007, que quebrou de fato a patente do medicamento, representando uma economia de US$ 30 milhões/ano ao país.
Mentira - Serra entende de saúde
Em 2 de maio de 2009, José Serra explica a Gripe A-H1N1: "Ela é transmitida dos porquinhos para as pessoas só quando eles espirram. Portanto, a providência elementar é não ficar perto de porquinho algum". Ver o vídeo neste blog - na postagem "H1N1" - em maio passado.
Mentira – Serra criou o seguro-desemprego
O seguro-desemprego foi criado pelo decreto presidencial nº 2.284, de 10 de março de 1986, assinado pelo então presidente José Sarney. Sua regulamentação ocorreu em 30 de abril daquele ano, através do decreto nº 92.608, passando a ser concedido imediatamente aos trabalhadores.
Mentira – Serra criou o Fundo de Amparo ao Trabalhador
O FAT foi criado pelo Projeto de Lei nº 991, de 1988, de autoria do deputado Jorge Uequed (PMDB-RS). Um ano depois Serra apresentou um projeto sobre o FAT (nº 2.250/1989), que foi considerado prejudicado pelo plenário da Câmara dos Deputados, na sessão de 13 de dezembro de 1989, uma vez que o projeto de Jorge Uequed já havia sido aprovado.
Não dá pra votar em um mentiroso. Só mesmo fazendo como Orestes Quércia e Leonel Brizola no vídeo abaixo em que eles demonstram como tratar jornalistas venais a soldo das Organizações Globo/Serra.

5 comentários:

leila castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leila castro disse...

Lacerda,

Creio que estas mentiras poderiam ser motivo de repúdio por parte dos eleitores, mas sabemos que isto não acontecerá.

Todos teremos as informações de forma tendenciosa, como você mesmo escreve sempre.

Nenhum veículo de informação é capaz de nos passar a verdade sobre os temas que se propõem a divulgar.

Quando se informa sobre a mentira ao eleitor, não vejo imparcialidade em todos os veículos de informação.

Por isso, informação só nos serve de base para nossa percepção. O exercício do leitor deve ser o de "perceber".

Perceber aquele que informa, perceber a notícia, perceber que devemos buscar mais informações que sirvam de base para se formar uma opinião própria.

No assunto de sua postagem, não existe uma inverdade, mas ela não serve de nada para o eleitor, se não buscarmos mais parâmetros para nossa percepção.
Serra é mentiroso? É fato e você bem nos informa.
E Dilma? É uma fraude? É uma criação do PT? Ela é consistente?
Será que aquilo que parece, de fato é? Em que são diferentes?

Veja, Serra não enfrentou a repressão e Dilma passou o pão que o diabo amassou, porém ambos tiveram seus motivos ou oportunidades de continuidade ou sobrevivência.
Serra abandonou o barco, e Dilma foi escorada pelo prestígio político e familiar de seu companheiro.

E como não poderia deixar de citar, onde estava a menina Marina, muito mais nova que eles?

Aprendendo a sobreviver na bagunça em que nosso país se encontrava.
E escolheu um caminho bem mais inteligente, socialmente mais correto e que produziria frutos mais suculentos e abundantes.

Te digo, Serra, Dilma e o regime militar adubaram a terra fértil da inteligência, capacidade e visão ampla de Marina Silva.

A coragem que faltou a Serra, sobra em Marina de enfrentar, sem macular um companheiro sequer de cidadania, seja oposição ou situação.

Votar em Serra é dar continuidade a uma política suja, MENTIROSA, socialmente não mais aceitável.
Votar em Dilma é dar continuismo ao governo do PT que os anais da história recente do país confirmam serem mentirosos, manipuladores e indecentes.
Votar em Marina é prosseguir no caminho aberto por LULA, porém com conceitos novos, adquiridos ao longo de uma militância que se inicia quando nascemos em um país dividido entre a truculência de esquerda e de direita e somos massacrados por uma pobreza cultural e social.

Eu quero o novo que se forma por "percepção" das informações que recebemos.

LACERDA disse...

"Votar em Dilma é dar continuismo ao governo do PT que os anais da história recente do país confirmam serem mentirosos, manipuladores e indecentes."
Assim, você generaliza, radicaliza e, sem citar exemplos, me irrita. Pois, fica parecendo que esses oito anos foram feitos de mentira, de manipulação e de indecência.
E, como já lhe disse um amigo seu -e você repetiu em seu blog - ninguém é totalmente bom nem totalmente mau.
Nem a Dilma, nem o Serra, nem a Marina, nem eu, nem você.

leila castro disse...

Lacerda,

Eu não falei em pessoas, falei em PT.

leila castro disse...

Lacerda,

O Jorge Uequed se licenciou do PMDB para coordenar a campanha de Marina Silva no RS.

Legal, não é?



Não se irrite comigo....