Total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de abril de 2013

INVASÃO DE BANDIDOS NAS CACHOEIRAS


Deu hoje no Jornal Atual:

Desde o mês de fevereiro muito se comenta, em Mangaratiba, sobre a “invasão por bandidos” nos bairros Cachoeira I e Cachoeira II, no distrito de Muriqui.
Segundo alguns moradores, meliantes fortemente armados, oriundos de favelas do Rio de Janeiro, teriam invadido as duas localidades, que ficam às margens da Rodovia Rio-Santos.
Ainda segundo alguns relatos, casas foram invadidas, houve explosões propositais de transformadores de energia elétrica, para deixar o bairro completamente às escuras para facilitar a entrada de mais invasores, ocupação da mata e toque de recolher tornaram-se rotina na vida de quem reside nos bairros.
Rapidamente a notícia de que Cachoeira I e II viviam a rotina das grandes favelas dominadas pelo tráfico, tomou as redes sociais e a mídia local.
Mas como está a real situação dos bairros hoje?
Para responder a essa pergunta que milhares de moradores fazem o secretário municipal de Segurança e capitão da Polícia Militar, Sidney Ferreira esclareceu durante conversa com o ATUAL a realidade do bairro.
“Realmente houve a transição de alguns marginais oriundos do Rio de Janeiro para os bairros da Cachoeira I e II, mas a Polícia Militar interviu (SIC) rapidamente e não deixou a situação tomar maiores proporções.
Esse problema já se dissipou. Policiais militares fazem constantemente intervenções nesses bairros e a situação está controlada.
A população pode ficar tranquila em relação a esse problema. A Polícia Civil investiga o caso”, ressalta o secretário reiterando que esse episódio não provocou o aumento dos índices de violência no município.
“Minha função como secretário de Segurança é cobrar das polícias mais intervenções nessas áreas e isso tem sido feito com bastante êxito, por isso repito, os moradores de Cachoeira I e II podem ficar tranquilos”, finaliza.

N.L.: o verbo intervir conjugado corretamente na 3º pessoa do pretérito perfeito é interveio.  O erro é do jornal, não é meu.                                                                       

3 comentários:

leila castro disse...

ha ha ha ha !!!!! Quando este secretário morar por lá ou simplesmente conviver como agente político naquela comunidade, irá modificar o discurso e jornal mudará a conjugação do verbo.

Nesta quinta-feira, professores moradores da localidade,não puderam sair para as aulas noturnas...

Será indolência ou desconhecimento?
Passar uma tranquilidade que não existe, é em minha OPINIÃO algo leviano demais.

A Cahoeira não precisa de leviandade, precisa de políticas públicas em todas as áreas.

Marcia Olivieri disse...

Isso mesmo Leila Castro... estamos muito cansados de hipocrisia e olhos vendados... Minha secretária mora lá e me garantiu que na quinta teve até tiro...mas, é claro que nem viu...ninguém ouviu e isso não passa de papo de oposição recalcada! rs

leila castro disse...

Márcia,

O problema é sério, está sendo esfregado em nossos olhos e querem afirmar que não existe...afinal, dá trabalho, exige competência e gestores desprovidos de egos exacerbados,pois demanda em ação conjunta de todas as áres de gestão.

Tive notícias de que o mesmo está acontecendo em menor escala no Parque Bela Vista... e os ataques dos "invisíveis" criminosos não estão só acontecendo em Muriqui... Itacuruçá é ali.... e sofre com esta fantasmagórica população vinda do Rio, aliciando e sendo recebebida pelos nossos antigos e costumazes bandidinhos...