Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Dr. RUY SECRETÁRIO DE SAÚDE?

Duvido...
Já escrevi diversas vezes AQUI, AQUI, AQUI, AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI sobre saúde pública.
A fila de doentios em busca de senhas para atendimento médico, que ontem atingiu um quilômetro e meio pelas ruas de Salvador, me faz escrever novamente.
Eram pacientes do SUS que chegaram durante a madrugada para aguardar a abertura do posto de marcação de consultas no Hospital Santa Izabel.
Alguns, revoltados com a demora e com o fim das senhas, chegaram a invadir a unidade hospitalar em busca de novas vagas.
O hospital particular realiza cerca de 7 mil consultas, em mais de 15 especialidades, e ontem seria o dia para marcar as consultas dos próximos três meses.
Com mais de três mil pessoas à espera de senhas - entre elas casos emergenciais como solicitação para manutenção de marcapasso - o ambulatório abriu as portas por volta das 6h, mas só distribuiu 600 fichas, que logo chegaram ao fim.

Veja aqui, neste vídeo, a concentração de doentios em busca das senhas para consulta. Notem que não se vê um único doente. São todos indivíduos saudáveis, corados e bem nutridos.
Pode ser até que existisse alguém que, de fato, necessitasse de atendimento médico, mas foi prejudicado pela maioria que não precisava.
A única doença da grande maioria é a hipocondria, afecção mental em que há depressão e preocupação obsessiva com o próprio estado de saúde. É a doença do indivíduo obcecado por atendimento médico. É o doentio por efeito de sensações subjetivas e que se julga preso a condições mórbidas - na realidade inexistentes - e que passa a procurar, permanentemente, tratamentos que, além de descabidos, são muitas vezes perigosos como medicações, intervenções cirúrgicas, etc.
O que ocorreu ontem em Salvador é o que acontece todos os dias em todo o país em menor proporção. Estes doentios jamais permitirão que alguém possa dar jeito na saúde pública.
Por isso, não acredito que o Capixaba nomeie como Secretário de Saúde o seu novo vice Dr. Ruy Quintanilha. Só se for para queimá-lo na próxima eleição. E se o Capixaba tentar nomeá-lo, duvido que ele não seja bastante esperto para recusar a nomeação.
A solução para a saúde pública em Mangaratiba vai além de sua nomeação, do aumento do número de médicos credenciados e da construção de um novo hospital.
Sei que estou me repetindo, mas não consigo mudar de opinião. A saúde pública só terá jeito quando se conseguir manter os doentios sob controle.
Para isso, somente com a cobrança de uma taxa pelo atendimento médico, tal como faz o sistema público de saúde do governo americano.
Isto, nenhum governo terá coragem de fazer por aqui.

8 comentários:

Anônimo disse...

No seu ponto de vista as pessoas perdem a madrugada para pegar senha a toa ? Tá falando isso pq não é vc que precisa né!

E o Dr. Ruy não vai assumir, vai comandar alguém né meu amigo....Acorda!!!

LACERDA disse...

Foi o prefeito quem disse em entrevista, ao Jornal Atual, que nomearia o Ruy Secretário de Saúde.
Pra você aquele quilômetro e meio de gente estava doente? Viu o vídeo?
Pra mim, poderia haver dois ou três que precisavam de consulta médica, os outros eram todos hipocondríacos.

Anônimo disse...

Lacerda....essa foto já esta dando o que falar.kkkkkkkkkkkkkk
Já tem pessoas afirmando que foi hum milhão o passe do nosso amigo.kkkkkkkkk O POVINHO!

LACERDA disse...

Qual foto? Passe de quem?

JJMadeira disse...

Ilustre colunista Lacerda.
Respeito a sua opinião, mas o que entendo é que a Saúde tem sido conduzida por pessoas que não foram preparadas para gerir. Os profissionais de saúde, notadamente os médicos, são preparados para a saúde privada, para ganhar dinheiro. Necessário se faz uma reformulação na formação do médico e dar-lhe conhecimentos de gestão pública e entendimentos do que é SUS, para mim o melhor plano de saúde do mundo, é viável. Falta a operacionalização. A maioria dos atuais gestores não conhecem o sistema de financiamento da saúde, nem a sua operacionalização. Estão surgindo pessoas preparadas para isto, são aqueles que tem se formado em Pós Graduação em Gestão de Saúde, inclusive, o Município de Mangaratiba, quando fui Secretário, iniciou a formação de pelo menos 20, que estão aí para serem aproveitados. Fica a dica.
Madeira.

LACERDA disse...

Prezado Madeira,
Muito obrigado pelo honroso comentário.
Quero mudar a minha opinião, porém, preciso de argumentos mais convincentes.
Como me diz um parente médico, quase 90% dos pacientes que ele atende na rede pública não precisam de médicos nem de remédios.
Entre os conveniados, o percentual chega a 50%.

JJMadeira disse...

É verdade que muitos vão ao Médico por desorientação, mas cabe ao gestor colocar mecanismos para direcioná-lo para a sua necessidade. No mínimo educá-lo a usar o sistema.

Armando disse...

Também, sou médico e dou razão ao blogueiro. No dia que atendermos apenas os necessitados de medicina a saúde pública será de fato eficiente.