Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de março de 2013

CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA

A reunião mensal do Conselho foi realizada ontem no Centro Cultural Cary Cavalvante. Participaram do evento a major-PM Cláudia Moraes, coordenadora dos CCS e representante do ISP da Secretaria do Estado de Segurança; o sub-tenente Luiz Carlos Ochsendorf, representando o 33º Batalhão da PMERJ; o Sr. Marcos André Lopes Doreste, assessor da Secretaria Municipal de Segurança, representando o Secretário que se encontra em Brasília. Estiveram presentes também representantes da Coordenadoria Municipal de Direitos Humanos, agentes da Superintendência de Trânsito, presidentes/representantes de associações de moradores de Junqueira, Sahy, Ibicuí, Praia Grande, Mangaratiba, Serra do Piloto.
De Muriqui, apenas eu: um antiterrorista convicto e juramentado. De Itacuruçá, ninguém. Talvez, estivessem com medo de sair de casa diante do terrorismo suicida alardeado em nosso Distrito. Acho que estou sendo incoerente demais: como posso querer que anônimos compareçam e mostrem a sua cara.
O último delírio terrorista que chegou ao meu conhecimento foi a notícia de que os “bandidos” desceriam da Cachoeira 2 para fechar o comércio em Muriqui. O falso e aterrorizante devaneio espalhou-se rapidamente. Houve até comerciante que acreditou e logo avisou a outros.
Fico imaginando a quem possa interessar essa tentativa de difusão do pânico que causa grande inquietação em relação a um perigo imaginário e sem fundamento, que escapa a um controle racional.
Ontem, levantei a questão diante das autoridades presentes.
O sub-tenente Ochsendorf, participante ativo no combate à criminalidade em toda a região assistida pelo 33º BPM, com toda a convicção e me olhando nos olhos, fez um relato que pouco difere daquele que fiz na postagem intitulada “Terrorismo Suicida”.
O Bope esteve infiltrado na Cachoeira 2 fazendo o serviço de inteligência, filmando, fotografando, levantando o local, e apresentou o seu relatório ao Comando do 33º BPM que não considerou necessária a incursão daquela força de elite para combater alguns poucos egressos de favelas cariocas refugiados no local. As incursões foram feitas por forças policiais do próprio batalhão com todo o cuidado para evitar o confronto violento que poderia resultar na morte de inocentes.
O sub-tenente afirmou que a PMERJ está no controle e que, ontem mesmo, seis elementos foram presos no local e levados para a 165ª DP. Não falou em confronto violento, o que, para mim, demonstra a baixa periculosidade dos meliantes.
Soube também que, semana passada, quatro meliantes que tentavam fugir de ônibus foram capturados. Outra informação que ouvi foi sobre a prisão de uma vovó do pó que atuava em Mangaratiba.
Até fiquei com pena, coitadinha. A pobre anciã ganhava a vida honestamente e, agora, está na cadeia.

2 comentários:

Antonio Carlos disse...

Parabéns amigo Lacerda. Quando disse que não estava preocupado com o terrorismo acho que estava certo, ontem na reunião do Conselho de Segurança provou isso. Espero que os(as) terroristas de plantão apareçam na próxima reunião dia 18 de Abril próximo. Abraço Antonio Carlos (Pres. do CCS - Mangaratiba).

andre quimico disse...

Fico feliz em saber que Mangaratiba possui um Conselho Comunitário de Segurança(muitos municípios nem possuem). Já conhecia a Major Claudia (que parece ser bem atuante) do conselho de Nilópolis. Qual é é o dia pré-definido do conselho de Mangaratiba ?