Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

PUBLICIDADE OU JORNALISMO?

O publicitário é oito e é oitenta também. É um workaholic, mas o que gosta mesmo é de ficar à toa. E mesmo à toa, está sempre buscando ideias para desenvolver um trabalho.
Ele é perfeccionista, não admite erros nem mediocridade. Adora elogios, mas aceita a crítica com a maior dignidade. Deseja mesmo a crítica porque é o maior crítico de si mesmo.
Quando acerta, sente-se realizado por alguns instantes e parte para outros desafios. Sabe que tem de matar um leão por dia e não consegue viver sem problemas para enfrentar. Se não existem problemas, ele os inventa.
Tem que saber de tudo um pouco. E tudo de pouco. Escrever, por exemplo, tem que saber tudo. Está bem, não vamos exagerar, quase tudo.
E tem que gostar de escrever. E saber que escrever é um gostoso e penoso sacrifício.
Como dizia um professor que tive na faculdade de comunicação, “Quem tem apreço pela escrita sofre muito. A busca pela palavra exata e musical é um parto. Doi muito.”
Só mesmo um demente escreve por prazer. Aquele meu professor também dizia que escrever não lhe dava prazer algum, ter escrito sim.
O jornalista e o publicitário começam na mesma turma da faculdade. Depois, aí pelo quarto ou quinto período, separam-se, mas acabam se encontrando e tentando fazer um o trabalho do outro. Ambos sobrevivem à custa da criatividade e da palavra, porém, o publicitário cria, não inventa, e o que escreve é definitivo, ninguém mexe, somente ele mesmo. E tem que dizer a verdade - mas, nem toda ela - de forma sempre muito bem dita.
Já o jornalista não tem maiores preocupações: seu texto passará pelo redator, editor e revisor. Também não tem qualquer compromisso com a verdade. O mais importante para ele não é o fato em si, mas sim a versão que ele dá ao fato. Ele não cria, ele inventa. Aí reside a grande diferença entre as profissões.
Quem está em dúvida sobre qual carreira seguir deve saber que ambas sofrem com a maldição de Sísifo, aquele que desafiou os deuses e, capturado, sofreu uma punição: empurrar uma grande pedra até o alto da montanha. E, quando chegava ao topo, vê-la rolar montanha abaixo, tendo que começar tudo de novo no dia seguinte.
E saiba, também, que ambos terão muitas contas a ajustar no dia do juízo final pelos inúmeros pecados cometidos em sua profissão.

12 comentários:

leila castro disse...

Lacerda,

Entendi a diferença e vi que tem toda a lógica. Então fiquei aqui pensando, que como não sou jornalista, nem publicitária e nem escritora, acho que fiquei com a classificação de demente. Mas, percebi que não sou uma demente completa, já que não sinto prazer de vez em quando em escrever.

Sinto muita necessidade, mas nem sempre prazer. Só alívio! Então, isto me faz demente ou muda! Aí, pensei que não sendo muda fisicamente, restou a mudez da voz que não se escuta, do grito preso na garganta e da surdez dos demais.

Assim, descobri que sou muda social!

LACERDA disse...

Você confirma o que dizia o professor. Você, como eu, não sente prazer em escrever, sente alívio (ou prazer) por ter escrito.
A regra vale para qualquer pessoa envolvida com a comunicação, independente da profissão.
E vê se para de sofismar.

leila castro disse...

Está sendo injusto! Não foi sofisma não... pode ter sido somente um desvio de lógica.

Anônimo disse...

Mesmo diferenciando as profissões, na verdade quem escreve quer ser ouvido, entendido, ressuscitado da mesmice, busca a sanidade em sua insana realidade seja ela real, fantasiosa ou demente, o que vale é a sensibilidade que aflora da mente de quem exercita diariamente este potencial e dom. Livres são os que rementem suas angustias, suas opiniões e verdades com doses de humor, alegria, sofrimento, etc para despertar de todos nós. Parabéns!!!!!Parabéns aos loucos dialogos que fazem, aos gritos contidos e ao prazer de viver e lutar por um ideal. Parabens aos dois Leila e Lacerda.

LACERDA disse...

Anônimo,

Escrever é um gostoso e penoso sacrifício. Ler é que é um prazer.
E ainda maior quando lemos um comentário como o seu.
Pena que ele está no anonimato.

leila castro disse...

Anônimo,

Sabe o que vai acontecer com estes seus comentários? O Lacerda vai ter que comer feijão com bucho e eu vou ficar mais escondida.

A timidez é minha fraqueza, mas também é minha fortaleza, meu esconderijo.

Obrigada por me ler! Obrigada por deixar que te leias também.

Anônimo disse...

caro amigo não sei o que acontesse com as pessoas.

a leila em seu blog critica alguns vereadores mas esquece que o ruy tb esta incluido em tudo que ela escreveu.
mas o estranho é que jaga-se pedras nos outros mas esquecem que tembém tem telhado de vidro.

ou ficamos quietos ou escrevemos toda a verdade pois se ela esta tão indignada , a mesma se esqueceu que o ruy esta a frente da mesa como 1º secretário.
não foi só escolhido o novo presidente da câmara e sim todos que iriam compor a mesa.

ou falemos a verdade ou então é melhor se calar.

leila castro disse...

Anônimo queridinho,

Vai lá no blog e veja que já respondi diversos comentários seus sobre o tema.

Se prestar atenção já devo ter te respondido três vezes.

Uma em que te digo que a postagem é anterior a votação e portanto, dei minha opinião de quem iria votar a favor do Edinho.

Na outra, te respondi que não conversei com o Ruy se a abstenção foi dele. E na última, digo que não tenho compromisso com o Ruy, a não ser o de ser parceira enquanto seus posicionamentos forem em acordo ao que espero de um representante do povo.

Difícil de entender ou é só picuinha e fofoca virtual?

Ou você espera que o Lacerda me dê umas palmadas depois que você fez queixa para ele?

Preste atenção!

leila castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leila castro disse...

Anônimo,

O Ruy respondeu no blog!

LACERDA disse...

"Sempre tive dificuldade de escrever, acho que estilo é a dificuldade de expressão de cada um. Para se dar a impressão de que se fez uma coisa pela primeira vez, é preciso reescrever muito."
Foi o que disse Mário Quintana.

Anônimo disse...

Só hoje retornei ao blog e me surpreendi com suas respostas.Trabalho com jovens adolescentes e utilizo textos livres para que aprendam a criticar de forma cidadã. Utilizo muitos textos seus e de Leila e fiquei até triste de um anonimo usar o blog para tentar ofender pessoalmente o outro.Meus alunos tem aprendido a criticar; brinco que eles aprenderam a cidadaniar. O que me deixa muito feliz é que desta forma, ontem 7 alunos meus foram aprovados e serão presenteados pelo SAERJ como resultados de suas provas. Lógico a ajuda de vcs foram excelentes.