Total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de junho de 2009

DIA DOS NAMORADOS


Namoro... Namoro mesmo começa muito timidamente. Com olhares cruzados, durante um bom tempo, até chegar a um papo bem inocente, sem qualquer malícia.
Ele, emocionado, sem saber o que dizer e o que fazer com as mãos; ela, sem querer demonstrar qualquer emoção, apenas procura manter uma distância regulamentar. Esse primeiro lance não leva a lugar nenhum. Marcam um novo encontro para o dia seguinte. Na despedida, as mãos se tocam e permanecem em suave carícia. Trocam beijinhos sem que os lábios toquem a face do outro. Aí, tem início a fase dos telefonemas intermináveis.
Aquilo que começa com beijo na boca em baladas não é namoro. Geralmente, termina em transa no carro ou no motel. E fica por isso mesmo. Ela jamais será considerada como namorada. Falta-lhe uma boa dose de mistério. Cai no esquecimento. Será apenas uma mulher. E ele, apenas um homem. Dois exemplares do reino animal.
Namorada é aquela que jamais será esquecida e permanecerá durante toda a vida na lembrança de quem ama. Mesmo à distância e sem qualquer esperança, será impossível apagá-la da memória.
Namorada é aquela exaltada por Vinícius. Aquela que tem a beleza da mulher-namorada. Que é bem maior que a beleza do céu, que a beleza do mar, maior que toda a natureza. E são tantos seus encantos que nem dá p´ra comparar.
Namorada é aquela a quem pertence a lua e as estrelas e que – bendita entre as mulheres - existe para pacificar o homem e o mundo.
Namorada é aquela que recebe uma página repleta de palavras de amor e com ela se abraça emocionada.
Namorado é aquele que escreve essa página.

Um comentário:

Fábio disse...

Ih, estou namorando!