Total de visualizações de página

segunda-feira, 6 de abril de 2009

A TV FORMA, INFORMA OU DEFORMA?

Reproduzo algumas pérolas da prova de redação da UFMG cujo tema foi “A TV forma, informa ou deforma?” Segundo os vestibulandos mineiros da geração Orkut, a televisão é isso que segue. E, atenção, os erros de português são deles.
«A TV possui um grau elevadíssimo de informações que nos enriquece de uma maneira pobre, pois se tornamos uns viciados deste veículo de comunicação.»
«A TV no entanto é um consumo que devemos consumir para nossa formação, informação e deformação.»
«A TV se estiver ligada pode formar uma série de imagens, já desligada não.. .»
«A TV deforma não só os sofás por motivo da pessoa ficar bastante tempo intertida como também as vista.»
«A televisão passa para as pessoas que a vida é um conto de fábulas e com isso fabrica muitas cabeças.»
«Sempre ou quase sempre a TV está mais perto denosco, fazendo com que o telespectador solte o seu lado obscuro.»
«A TV deforma a coluna, os músculos e o organismo em geral.»
«A televisão é um meio de comunicação, audição e porque não dizer de locomoção.»
«A TV é o oxigênio que forma nossas idéias.»
«...por isso é que podemos dizer que esse meio de transporte é capaz de informar e deformar os homens.»
«A TV ezerce poder, levando informações diárias e porque não dizer horárias.»
«E nós estamos nos diluindo a cada dia e não se pode dizer que a TV não tem nada a ver com isso.»
«A televisão leva fatos a trilhares de pessoas.»
«A TV acomoda aos tele inspectadores.»
«A informação fornecida pela TV é pacífica de falhas.»
«A televisão pode ser definida como uma faca de trezgumes. Ela tanto pode formar, como informar, como deformar.»

Leia, também, a postagem de dezembro intitulada ENEM referente a uma redação cujo tema foi a amazônia. E, por favor, não culpe o governo, a escola e os professores por tanta estupidez.
O que falta é vergonha na cara do corpo discente.

5 comentários:

leila castro disse...

Lacerda, vou discordar desta vez.
Ninguém chega ao vestibular sem ter passado no mínimo 12 anos em escolas, e se conseguem passar de série com esta falta de organização verbal e ortográfica, de quem é a responsabilidade?
A geração Orkut não é culpada desta falta de intimidade com a grafia e a argumentação.Esta geração já se comunica desta forma por não conhecerem verdadeiramente a nossa ortografia e em seus diálogos utilizam pouquíssimos vocábulos.
Não sei se vc acompanhou um método de alfabetização que foi muito usado a uns 20 anos passados que consistia em "juntar sons" e só depois de "alfabetizados" iriam começar a conhecer as letras.
Governo que não investe em professores, tanto em seus salários, como em sua formação,quer formar futuros profissionais que pouco ou nada poderão transmitir para outras gerações.
A cada dia temos mais educadores despreparados e mais alunos imbecilizados.

LACERDA disse...

Minha amiga Leila,
O pior cego é aquele que não quer ler. Meu pai cursou até o quarto ano primário. Largou a escola porque teve que trabalhar como operário da Fábrica Bangu. De tanto ler, virou poeta.
Quem não lê, mal sabe, mal fala, mal escreve, mal vê.
Queremos escolas melhores para nossos filhos, mas esquecemos de mandar filhos melhores para as nossas escolas.
Educação é responsabilidade de todos. É o que diz a Constituição.
Eu fico feliz quando alguém discorda de mim. Sou polêmico. E como é bom polemizar com alguém inteligente.
Agora, reconheçamos, que falta vergonha na cara deles, isso falta.
Que culpa tem o governo, a escola, os professores, quando a Fernandinha diz que as pessoas que vivem para tomar conta da vida dos outros, coitadas, morrerão protagonistas e jamais farão o papel principal.

Lacerda disse...

E quanto ao comentário da Tina sobre o bilau de 12cm? E como uma criatura em sã consciência faz uma tatuagem daquela nas costas?
Veja que a questão não é somente escrever corretamente. Culpa de quem? Da escola?
Esta dá o ensino igualmente para todos. A educação tem vir de casa. Os que chegam à escola já educados aproveitam o ensino.
Quando César Maia implantou a aprovação automática foi para se livrar daqueles que não querem aprender nada. Na esperança de abrir vagas para receber novos e, quem sabe, melhores alunos.

leila castro disse...

Só discordando....
Respondi baseada na postagem da redação do vestibular. As pérolas do Orkut nem ousei questionar.
Mas, vamos ao tema. O governo tem responsabilidade sim quando a Fernandinha não conhece o que é protagonista, possivelmente só ouviu falar em protagonista em novelas e gostou da palavra, mas não sabe o que significa. A tatuagem estúpida também é fruto da imbecilidade coletiva, onde o protagonista continua sendo o governo.
Só concordo contigo quanto ao bilau de 12 cm, isto é discernimento moral e de conduta que recebemos em nossa formação familiar.
Lacerda, converse com alguns professores que se formaram após a permissão de funcionamento de escolas normais particulares. Peça para que escrevam textos e concluam suas idéias com lógica. Peça para explicarem como ensinam matemática para alunos até a 4a série, converse sobre fatos da história recente do país, pergunte sobre geografia, fale de ciências simples e você vai entender o que digo.
Estes professores, foram obrigados a ter nível universitário para que possam dar aulas para o 2o segmento do ensino fundamental e só conseguem passar em faculdades que são abertas em shopping e que quando são avaliadas no ENAD, ficam em níveis de nossa realidade, ou seja, vergonhoso.
Entendo quando você dá o exemplo de seu pai, pois minha mãe foi uma das pessoas mais cultas que conheci e não tinha nem a 4a série do antigo primário. Porém, já se foi o tempo em que só tínhamos livros para nos fazer raciocinar e literalmente descobrir o mundo. Hoje, os livros não são mais companheiros, nem são fonte de estimulo para o raciocínio de ninguém. Afinal, são caros, não são pedidos em escolas e os pais de hoje, também são frutos da miséria cultural que vivemos já faz tempo.
E paro por aqui, pois isto é conversa para longas horas de convicções mútuas.

LACERDA disse...

O professor Marcelo Néri - chefe do Centro de Pesquisas Sociais da FGV – comentando o resultado da pesquisa sobre as causas da evasão escolar e avaliação do ensino, afirmou que:
“podemos ganhar todas as batalhas pela melhoria da qualidade da educação, adotando as melhores práticas educacionais, mas se não conseguirmos convencer os principais protagonistas - que são as crianças, os adolescentes e seus país - vamos perder a guerra.”