Total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de abril de 2009

IATE CLUBE DE MURIQUI

Véspera de eleição, Iate interditado. Coincidência!?
Indignada, a oposição se aproveita do fato. Demonstrando um excesso de zelo por nossas crianças e adolescentes - pura hipocrisia - remete parte do processo de interdição para os associados.
A "intriga" (sic) do processo - como a própria oposição o denomina no e-mail que me enviou - está no site do Tribunal de Justica. Será que ela queria dizer íntegra? Acho que sim, pois, não acredito que elementos do judiciário participem de intrigas fúteis e levianas. Isto seria inadmissível.
O Iate Clube foi interditado até que sejam pagas as multas impostas por ato lesivo ao Estatuto da Criança e do Adolescente, isto é, permitir a entrada de adolescentes a eventos musicais em suas dependências.
O Comissariado da Infância e da Juventude flagrou a presença de crianças/adolescentes (sic) no show do cantor Belo e iniciou o processo para a interdição. Os jovens – acredito que todos de boas famílias - apenas assistiam ao show, não foram flagrados com bebidas alcoólicas nem em atitudes libidinosas nem consumindo drogas. Não havia brigas nem confusões. Apenas se divertiam sob o olhar vigilante de adultos conhecidos e vizinhos. O mau gosto musical daqueles jovens não foi levado em consideração para a penalidade. Apenas a sua presença ali, tradicional como se vê em qualquer outro clube social como o Iate Clube de Itacuruçá.
Seria, então, o caso de interditar todos os clubes sociais do Rio de Janeiro e do Brasil?
O Comissariado da Infância e da Juventude deveria olhar, também, o que ocorre à noite, nos finais de semana e véspera de feriado, no calçadão em frente ao Correios e ali na praia em frente ao Lions.
São centenas de crianças – ali sim, crianças – e adolescentes, longe dos olhares adultos, com lata de cerveja ou garrafa de Ice em suas mãos. Muitos com um baseado na boca. E o pau come feio.
É só conferir no Posto de Saúde quantos chegam lá em coma alcoólico, durante a madrugada, nos finais de semana e feriados prolongados.
Nenhum deles, certamente, é oriundo do Iate Clube.

20 comentários:

leila castro disse...

Amigo, a omissão do comissariado nas situações que você descreve, não invalidam a legalidade da fiscalização no IATE. O correto seria que as práticas da orla fossem também reprimidas, mas o IATE deveria atender as regras da justiça também. E quanto a dizer que os jovens da orla não são oriundos do IATE, é um engano, pois quase todos que frequentam o IATE, também frequentam o "baixo Muriqui". Bebidas alcoólicas nas mãos de menores no IATE são usuais e tenho fotos de diversos jovens com bebidas em shows.
Aproveito o espaço para esclarecer que boatos estão sendo espalhados no que diz respeito a dívida que se acumulou deste clube e que responsabilizam a administração passada.
Quando a administração passada assumiu o clube, por dois mandatos, o clube tinha dívidas com o INSS, CEDAE, e fornecedores que foram negociadas. Quando a administração passada passou ao atual administrador, estavam em dia e o clube tinha caixa para continuar estes pagamentos. quando dívidas negociadas não são pagas, o acordo encerra-se e o montante passa a ser devido em sua totalidade.
Para que difamações não se perpetuem, peço aos senhores sócios que verifiquem estas informações e não permitam que os verdadeiros responsáveis pelo caos em que se encontra o IATE, se isentem de suas responsabilidades.
Tanto na política, quanto em nossa vida social, devemos participar com responsabilidade e ética dos assuntos que nos dispomos a comentar.Este apelo é feito pois hoje mesmo, ouvi tanta sandice que não resisti ao comentário.

LACERDA disse...

Amiga, eu comentei sobre a parte do precesso que recebi por e-mail, no qual o comissário da infância e da juventude afirma que não flagrou nenhum menor consumindo bebidas alcoólicas. Apenas lá se encontravam divertindo-se como em qualquer outro clube social do país. Comentei a hipocrisia de interditar o Iate e deixar correr solto o consumo de álcool e drogas, à noite, na praia e no calçadão.
Não conheço a contabilidade do Iate. Sou associado há muitos anos e pouco frequentei o clube.
Agora, Leila, não ponha palavras suas no meu texto. Eu não disse, em momento algum, que os jovens da orla não são oriundos do Iate. Disse, sim, que, certamente - certamente, portanto, coloquei a minha dúvida - certamente os jovens atendidos em coma alcoólico no posto de saúde não são oriundos do Iate.
Concordo plenamente com a primeira e a segunda orações de seu comentário.
Quanto a minha postagem, não retiro uma única virgula.

leila castro disse...

Não foram seus comentários!Desculpe se pareceu que falava de você. Até expliquei no final, que eram as sandices que estava ouvindo hoje mesmo. E quanto a garotada, só tentei te mostrar que são os mesmos e quando acaba os shows do clube, vão todos para aquele local terrível que se tornou a orla de madrugada.
Novamente te peço desculpas por não me ter feito entender.Jamais invadiria seu espaço para atacá-lo, pois isto seria imperdoável, principalmente por se tratar de pessoa a quem tenho grande respeito pelas idéias e posições em relação aos assuntos que aqui são postados.

leila castro disse...

Escrevi tão apressadamente que não visualizei a postagem e muitoe erros passaram.
Ainda amigos?

LACERDA disse...

Leila, vou te mandar o e-mail que recebi para mostrar-lhe o que, na verdade, eu critiquei. Você verá que é a mais pura hipocrisia.
Não entro na política do clube. Nem quero entrar. Prefiro sempre olhar tudo de fora para falar e escrever o que eu quero sem qualquer paixão, seja contra ou a favor do que quer que seja, com absoluta imparcialidade.

cledsonbarboza disse...

Leila, procure se informar melhor pois voce esta com poucas informacoes a respeito das financas que a gestao passada deichou de heranca para a nossa. em 2005 e comeco de 2006 ainda nao tinhamos assumido a administracao e a quantidade de multas e debitos estao devidamente registrados. voce comprovar nos site do tjrj. quanto aos autros debitos e prejuizos foram levados a conhecimento do conselho deliberativo do clube no inicio da nossa administracao.
Quanto ao caos que a nossa oposicao gostaria que estivesse. gracas a administracao de nossa equipe nao se instalou. muito pelo contrario o clube esta numa fase de reformas e melhorias. procure se informar melhor. estamos a disposicao para maior detalhamento.

Anônimo disse...

Entrem no site do TJ-RJ e vejam as decisões, na integra, proferidas no processo 2009.030.000424-9. A situação narrada é muito mais grave, pois o clube vem se omitindo desde o ano de 2006, e as multas já somam mais de R$ 50.000,00. Não foram só três adolescentes apanhados no local. Ao logo dos anos foram mais várias sentenças proferidas contra o clube impondo multas administrativas. Não importa se menores estavam bebendo ou não, a Lei 8.069/90 proibe a situação encontrada. Não vislumbro omissão do Comissário, já que é apenas um para sete distritos de Mangaratiba, e os menores que estejam cometendo infrações em espaços públicos abertos devem ser reprimidos pela polícia civil ou militar.

leila castro disse...

Sr. Cledson
Tudo que deve ser esclarecido, o será no tempo certo. Se a maioria dos sócios estiverem satisfeitos, e este clube é o que querem, que seja feita a vontade, afinal, Vox Populi Vox Dei. Só que o que a maioria quer, nem sempre é o melhor para todos. Se o que temos não é caos, e simplemente pode ser apenas uma questão de interpretação do que é qualidade e boa administração, não sou eu que vou contradizê-lo.
O processo democrático é isto. Eleições foram feitas para que seja feita a vontade do eleitorado.
Temos provas concretas de que nem sempre escolhemos os melhores para representar nossos interesses, mas é assim que o processo democrático tem seus erros e acertos.

LACERDA disse...

Prezado Anônimo,
Íntegra, enfim. Alvíssaras! Nada de “intriga” do processo.
O Clube vem se omitindo desde 2005 – na gestão anterior, portanto - e não desde 2006 como você diz.
O Comissário autuou o Clube “pela prática da infração prevista no art. 258, por ter encontrado três adolescentes conforme relação anexa descompanhados dos pais ou responsáveis no interior do Clube (show do cantor Belo) que não possui alvará judicial.”
O grande erro do Clube – como disse o Dr. Juiz em sua sentença – foi que “não há notícia de requerimento de alvarás de autorização para a entrada de adolescentes desacompanhados formulado junto a este juízo.”
Isto é, se o Clube tivesse solicitado o alvará de autorização, é claro que o mesmo seria concedido, pois, o evento era com um intérprete de canções ingênuas e o local é absolutamente familiar.
A Lei 8069 não proíbe a presença de menores desacompanhados de responsável no Iate nem em qualquer outro clube social. A Lei proíbe a presença de menores de dez anos desacompanhados de pais ou responsável. A Lei diz que “Toda criança ou adolescente terá acesso às diversões e espetáculos públicos classificados como adequados à sua faixa etária.” E diz, também, que “Compete à autoridade judiciária disciplinar, através de portaria, ou autorizar, mediante alvará a entrada e permanência de criança ou adolescente, desacompanhado dos pais ou responsável.”
Isso em relação até à boates e congêneres, considerando o tipo de freqüência habitual ao local, a adequação do ambiente à eventual participação ou freqüência de crianças e adolescentes e a natureza do espetáculo. É preciso reconhecer que o disposto na Lei favorece o nosso Iate Clube que errou ao não solicitar o alvará de autorização. E reincidiu no erro ficando sujeito a multa de três a vinte salários de referência, e, em caso de reincidência, a autoridade judiciária poderá - poderá, viu? – determinar o fechamento do estabelecimento por até quinze dias.´
Apenas quinze dias, é o que diz a Lei 8069.
Agora, veja o que diz o art. 247: “Divulgar, total ou parcialmente, sem autorização devida, por qualquer meio de comunicação, nome, ato ou documento de procedimento policial, administrativo ou judicial relativo a criança ou adolescente a que se atribua ato infracional:
Pena - multa de três a vinte salários de referência, aplicando-se o dobro em caso de reincidência.”
Foi o que fez a oposição ao me enviar cópia do auto de infração identificando os três adolescentes – todos maiores de 16 anos – com nome completo, filiação e endereço, aos quais se atribuiu ato infracional.
Por isso, eu repito: pura hipocrisia.
Quanto ao único comissário para sete distritos, devo lembrar que temos anualmente cerca de 120 sábados, domingos e feriados, com aquela farra da orla.
E tem mais: menor não é caso de repressão polícial.
Um abraço.

Anônimo disse...

Caro Lacerda,

Decisão judicial não se discute, se cumpre, ressalvados os recursos cabíveis capazes de modifica-la. O artigo 227 da CF/88 foi, a meu ver, o fundamento primordial utilizado pelo juiz, e dentro do chamado poder geral de cautela determinou-se a interdição discutida sem prazo especificado para garantia da proteção integral mencionada do dispositivo constitucional em comento.
Hipocrisia,com todo respeito, é fechar os olhos para ações ilícitas, sejam de indole penal ou administrativa, destacando que as normas não diferenciam o pequeno do grande ílicito, pelo menos sob o aspecto da obrigatoriedade das ações estatais.
Concordo com vc que muito há que ser feito, mas não acolho a retórica de que, havendo a ocorrência de outras ilegalidades não reprimidas, não haveria legitimidade para aquelas que estariam sendo objeto das ações estatais. Do contrário, viveriamos na desordem completa.
Complemento que práticas de atos infracionais por adolescentes é sim atribuição policial, que deverá proceder a autuação respectiva e encaminha-la ao juizado da infância e juventude, vide artigos 172 e 173 do ECA, com as cautelas devidas.
Se vc meu caro Lacerda tem conhecimento de alguma ilegalidade que esteja ocorrendo em sua cidade, esqueça as questões políticas do clube do qual figura como sócio e exerça sua cidadania, denuncie, acione as autoridades,pois estas ainda não estão aptas a receber reclamações por meio de um blog. Contribua para melhoria dos serviços públicos.
Vivemos hoje um comodismo sem precedentes.Note-se que a população também é responsável pelos fatos que ocorrem em determinada comunidade.
Em caso de omissão das autoridades, procure os superiores para as providencias cabíveis.
Com isso, sem dúvida estaremos construindo o verdadeiro Estado democrático de direito.
Não continue inerte apenas pensando que nada será feito.
Como pessoa inteligente que é, mobilize seus pares e a comunidade local com tal finalidade.
O poder emana do povo(Constituição Federal de 1988)
Saudações republicanas

LACERDA disse...

Será o mesmo anônimo? Não creio. Este se esconde nas trevas covardes do anonimato para sofismar descaradamente.
Decisão judicial não se discute? Gilmar Mendes que o diga. Joaquim Barbosa ainda dirá melhor.
Fechar os olhos para ações ilícitas? Quem, eu? Ou você que nada disse sobre a ação ilícita de quem me mandou cópia do auto de infração de três menores?
Quem disse que não haveria legitimidade na ação da justiça? Eu que afirmei que o Iate errou e reincidiu no erro?
Quem disse que práticas de atos infracionais por adolescentes não é atribuição da polícia?
Menor em flagrante delito é óbvio que é atribuição policial. Nem é preciso conhecer os arts. 172 e 173do ECA. Somente um imbecil diria que não é?
A hipocrisia é de fariseus agora convertidos em defensores de nossa juventude, mas que, no poder, praticavam os mesmos ilícitos.
Veja o texto da mensagem que recebi: “Este e-mail tem como objetivo mostrar a minha indignação ... com a atual administração que não vem mostrando o menor comprometimento para com a nossa juventude que ainda freqüenta o Clube.”
Por isso, escrevi: “Indignada, a oposição se aproveita do fato. Demonstrando um excesso de zelo por nossas crianças e adolescentes - pura hipocrisia - remete parte do processo de interdição para os associados.”
Então, eu devo esquecer as questões políticas do Clube? Estou sendo censurado? Logo eu que lutei contra a censura, enfrentei a ditadura, fui preso e levei porrada em defesa do direito de ter opinião e da liberdade de falar, escrever e publicá-la?.
E ainda sou qualificado como um inerte que não exerce a sua cidadania? Ora, por favor, vai procurar tua praia. Mostre a tua cara e saia desse anonimato pusilânime.
Agora, repressão policial eu conheço muito bem. Você conhece? Eu fui alvo dela e, repito, não é para ser aplicada em crianças e adolescentes.

Anônimo disse...

Meu caro Lacerda,
Acho que foi voce quem não compreendeu bem minha última postagem.
Apenas quis deixar claro a distinção dos atos estatais em relação a política existente no âmbito de organizaçõs privadas.
Não venho aqui lhe dar qualquer tipo de lição, até porque, pelo seus escritos, sua experiência de vida é bem mais longa que a minha.
Minha crítica foi em relação à hipocrisia por vc dita no que pertine ao caso em comento.
Se prestasse atenção em meus dizeres poderia extrair meu respeito ao Estado Democrático de Direito que jamais se equiparou ou se equipará ao Estado ditatorial.
A repressão mencionada por mim é aquela que faz parte do exercício regular do poder de polícia,pois esse é seu principal mister.
Lacerda, reprimir o crime e atos infracionais jamais poderá ser comparado ao que foi vivenciado no Estado brasileiro na década de 60.
Lamento que vc tenha presenciado ou vivido as atrocidades cometidas à época.
Foi vc quem escreveu a seguinte frase: "E tem mais: menor não é caso de repressão polícial".
Extraí desse comentário que não era atribuição policial reprimir os ilícitos praticados por menores.
Se o sentido da frase era outro, encerro aqui a polêmica!
Não faço parte do corpo social do clube de muriqui e nem tenho interesse nas divergências políticas ali ocorridas.
Gosto do debate de idéias, notadamente de cunho jurídico e da política públic.
Acho que vc não sabe muito bem o que vem a ser censura.
Se divergências de idéias for considerado repressão ao livre pensamento, então comentários jornalísticos opostos devem ser equiparados a atos ditatoriais?
Aceito seus argumentos, e desejo que vc aceite os meus sem que se crie qualquer estigma censorial.
Mas pelo seu último post, vejo que foi uma divergência aparente, pelo menos a meu ver.
Por isso meu caro Lacerda, como bom seguidor da democracia, aceite este espaço para o exercício dela, caso contrário, restrinja os usuários de seu blog.
Saudações republicanas
Anônimo (rs)

LACERDA disse...

O meu prezado e polêmico anônimo tenta se redimir de, pelo menos, um sofisma. É ele quem diz: “Foi vc quem escreveu a seguinte frase: "E tem mais: menor não é caso de repressão polícial". Extraí desse comentário que não era atribuição policial reprimir os ilícitos praticados por menores.”
Porém, continua a sofismar, e, por isso, vou apelar para o Aurélio e definir o que é repressão. É o ato de reprimir que significa: violentar, oprimir, vexar, tiranizar. Impedir pela ameaça ou pelo castigo, proibir. Castigar, punir.
E continua autoritário: “aceite este espaço para o exercício dela (a democracia), caso contrário, restrinja os usuários de seu blog.”
Aceito aqui qualquer divergência e jamais restringirei esse espaço para qualquer opinião contra ou a favor. Seja de quem for, mesmo dos anônimos. Isso porque eu sei - na carne e na alma - o que é censura.
Sendo, também, imperativo, repito: saia desse armário covarde do anonimato.
E, por favor, não lamente que eu tenha presenciado ou vivido as atrocidades cometidas à época da ditadura.
Eu me orgulho disso.

leila castro disse...

Amigos, percebemos que o assunto não vai parar por aí.
Ditadura, repressão, omissão, qualidade, enfim, conceitos diversos para o mesmo tema.
Em alguns pontos fico com o Lacerda, em outros fico contra o Comodoro, em outros entendo o anônimo das "Saudações republicanas".
Lacerda, feliz o homem que vivenciou o período negro da ditadura e que soube aproveitar toda a sabedoria que era imposta pelo silêncio, pela tortura e por toda repressão que levavam as pessoas a espernearem, pois não existe nada mais estimulante para a vida do que brigar por liberdade.
Esta liberdade que ainda não conquistamos em sua totalidade, liberdade esta que ainda é conceito deturpado para alguns, que acreditam que a impunidade iniciada naquela época, continua para todos que ocupam cargos transitórios ou "superiores". Sejam êles políticos, presidentes de associações, comodoros, enfim tudo que em uma sociedade cambeta de auto estima, parece ser a velha e conhecida "autoridade".
Volto a dizer, o comodoro errou e feio! Se defende dizendo que a administração anterior, deixou 5 multas(que ainda cabiam recursos judiciais) para a gestão atual, mas esquece das cerca de 18 ou 20 autuações que aconteceram e ainda estão acontecendo em sua gestão.
Os outros problemas do clube, não cabe neste espaço a discussão, pois para isto haverá uma reunião do conselho deliberativo no dia 02/05, por volta das 17:30 hs e seus associados comprovarão o que disse anteriormente.
O anônimo das "saudações republicanas", gosta da polêmica e das discussões jurídicas, o que para nós leigos em direito e somente usuários do judiciário, não é tão atraente. Agora, políticas públicas é tema que muito deve ser debatido e informado para o cidadão para que possamos ver uma luz no fim do túnel e possamos exercer nossa cidadania em sua plenitude.
Talvez assim, começaremos a eleger melhor nossos representantes, tanto em nossa vida política, quanto em nossa vida social.

Anônimo disse...

Saudações Leila,

Ao que parece vc compreendeu minhas colocações, pelo menos parte delas.
As omissões reiteradas do cidadão levam às omissões dos representantes do povo. Incluo nisso a questão dos autos de infração lavrados contra o clube. Por qual motivo os sócios nunca se insurgiram contra seu Comodoro?
Como recomendação sua irei me abster de discutir sobre matérias que envolvam o Direito.
Por outro lado, como não faço parte do corpo social do Iate Clube, também deixarei de lado as questões políticas ali existentes, até porque nunca promovi qualquer comentário a respeito.
Caro Lacerda, você só atribui a mim o sofisma por não concordar com minhas colocações.
Seja democrático.
Despeço-me conclamando a todos exercerem a cidadania de forma efetiva, não se omitindo na comunicação às autoridades quando cientes de alguma irregularidade ou ilicitude.
Novas e últimas saudações republicanas.

LACERDA disse...

Nem todos sabem o que é sofismar. Eu explico, sempre apelando para o Aurélio: sofismar é deturpar com sofismas.
O sofisma é um argumento aparentemente válido mas, na realidade, não conclusivo e que supõe má fé por parte de quem o apresenta. É argumento que parte de premissas verdadeiras, ou tidas como verdadeiras, e que chega a uma conclusão inadmissível que não pode enganar ninguém, mas que se apresenta como resultante das regras formais do raciocínio.
Inicialmente, os sofistas eram considerados sábios, depois passaram a ser considerados impostores.
Os melhores exemplos de sofistas modernos são os políticos, principalmente quando estão na oposição.
Quem se der ao trabalho de ler os comentários do Anônimo vai encontrar diversos sofismas. Por exemplo, neste último, diz que não sou democrático apenas por discordar de suas colocações sofistas.
Sou tão democrático que não posso aceitar as suas despedidas. Por favor, continue conosco. Não! Não vá embora. Pode até continuar no seu armário do anonimato.

leila castro disse...

Lacerda,
Novamente me rendo a seu raciocínio.... não vamos deixar o anônimo despedir-se!
Percebo duas personalidades tão interessantes que gostaria de seguir lendo os embates que vocês nos proporcionam.
Para o amigo das "saudações...", tenha certeza que entendi toda sua argumentação, mas a omissão que você questiona por parte dos sócios do IATE, é a mesma omissão que temos em nossa vida de cidadão. Não espere que um sócio, vá se insurgir contra um Comodoro, se não tiver estímulo de outros sócios ou de qualquer pessoa que o informe, que oriente em seus direitos e deveres. E mais, em geral, as pessoas sentem-se ridículas, menores e incapazes de fazer valer seus direitos. O mesmo sócio que vota por amizade ao candidato do clube, é o mesmo que vota em seus governantes por alguma vantagem pessoal ou por ser conhecido de buteco, por ser da mesma igreja, etc...
Incentivo ao exercício da cidadania, se faz por diversas maneiras. Alguns utilizam-se de veículos como internet para informar, outros se mobilizam em ações sociais, outros participam em associações de bairro e alguns até em conversas informais estão incentivando, quando partilham seus conhecimentos culturais, suas vivências.
Falta estímulo, falta segurança, falta objetivo na vida do cidadão que ainda pensa que política se faz indo as urnas a cada quatro anos e esquece que política faz parte de nosso cotidiano.
Política é o sócio do clube eleger o que for melhor para o clube e consequentemente para seus associados. Política se faz em reuniões de condomínio, se faz nas reuniões de escolas, se faz participando dos conselhos de políticas públicas do município e por aí afora.
Meu amigo anônimo, questionar os que achamos que nada fazem é tão improdutivo quanto nada fazer.
Eu ponho a mão na massa e faço minha parte. É só aparecer a oportunidade. Aqui é um espaço que nos foi aberto, que muito ajuda a formar opinião.

Amigos do Iate Clube de Muriqui disse...

A bem da real verdade

De acordo com o processo 2009.03300.000424-9 da interdição do Iate Clube de Muriqui, as gestões anteriores não têm nenhuma responsabilidade, partindo do princípio de que, após ganhar as eleições e assumir o clube, o atual Comodoro deveria administrar com seriedade se preocupando em cumprir os compromissos financeiros do clube e não deixando correr a revelia na justiça.
A atual gestão aponta uma herança da gestão passada que soma 58 salários mínimos. Refletimos e ponderamos que 58 vezes aproximadamente R$465,00 é igual a R$26.970,00. Nos surpreende muito levantas esta questão se na folha nº6 do processo acima referido, encontra-se a relação dos autos lavrados contra o ICM e, em um único processo de nº2008.030.000144-1, a atual administração foi multada em R$24.990,00 na data de 03/10/2008. Isso em apenas um dos autos da atual gestão.
Concluímos que a gestão anterior não deixou uma dívida tão exorbitante assim, em face dos aproximadamente 16 autos exclusivamente da atual gestão, perfazendo um total aproximado de R$90.000,00.
Queremos ressaltar algumas afirmações do Meritíssimo Sr. Juiz no processo citado acima, folha nº15, onde deixa bem claro a culpa da atual gestão:
- “não vem demonstrando capacidade para organizar festas...”
- “nota-se também que não há notícias de requerimento de alvará de autorização...”
- “o descaso e o abuso por parte dos responsáveis pelo autuado são flagrantes, tanto que, cientificados acerca do prazo para apresentação de resposta, ao que parece, deram-se inertes.”
Mais uma vez observamos que “a bem da verdade” está mais para o bem da mentira, pois cita solicitação de parcelamento e até mesmo pagamento que não constam dos autos.
Também nos chamou a atenção que a atual administração, nos itens melhorias e aquisições, cita:
01 – “Entrada liberada aos sócios e dependentes” – Esta decisão foi tomada pelo Conselho Deliberativo e a atual administração relutou muito em cumpri-la, só o fazendo após a intervenção de alguns conselheiros durante a realização de um show (Mc Sapão).
02 – “Retorno e a volta daquele que estava afastado” – Dessa forma concluímos que os 450 associados pagaram suas dívidas atrasadas, aumentando assim a receita do clube. Deste modo, como o clube não tem dinheiro para honrar seus compromissos e fica constantemente no valor negativo em sua conta bancária? Não houve nenhum pedido da atual gestão ao Conselho Deliberativo para que houvesse anistia...
03 – Reforma até podemos entender, mesmo discordando. Mais construções na sede social, do bar da piscina, bar da quadra, banheiros novos, sauna e churrasqueira. Isso não passa de um jogo de palavras, pois já existiam antes mesmo do atual Comodoro frequentar o clube.
04 – Temos a mesma interpretação do item anterior.
05 – Ninguém jamais viu esse novo trator.
06 – Até a presente data, só temos a velha e guerreira Saveiro.
07 – Só mesmo com muito amor e respeito aos sócios, os profissionais que trabalham no ICM conseguem realizar suas funções, pois não se tem uma bola para jogar futebol, um tablado para o teatro, uma piscina com água límpida...
Por tudo isso, só nos resta apresentar nosso repúdio às pessoas que fazem parte da atual administração do Iate Clube de Muriqui ao fazerem e creditarem denúncias infundadas a outros de forma leviana, vergonhosa e covarde. Temos certeza de que a verdade prevalecerá e o bem sempre vencerá o mal.

Atenciosamente,

Amigos do Iate Clube de Muriqui

LACERDA disse...

Os amigos aí em cima honraram este blog com sua resposta à carta aberta da atual administração do Iate aos associados. Sem factóides, sem sofismas, responderam item por item à argumentação do atual Comodoro.
Sem quaisquer comentários, fico aguardando a tréplica do Cledson.

cledsonbarboza disse...

Querido Lacerda. em consideração a você e as pessoas que acompanham o seu blog. só vou resumir as acusações acima em muito lero lero e pouca informação. as dívidas deichadas passam da casa de 1.0000.000,00 (hum milhão de reais). isto mesmo. na ultima reunião do conselho foi colocada os devidos débitos referentes aos anos que eles foram feitos. consequentemente o nosso antecessor que foi para rua dizer que tinha saneado as finanças. e deichado no caixa do clube mais de cem mil reais, foi uma mentira. pois na primeira reunião do conselho eu mostrei a real situação que este senhor deichou. em dinheiro de fato 800,00 (oitocentos reais) pois o restante era cheques sem fundos, notas promissorias e vale de diretor do clube da gestão dele que pegaram emprestado e não pagaram. realmente tudo que foi feito no clube em trez anos foi muito pouco do que gostariamos de fazer. mais comparando com o que pegamos. hoje o clube as mães podem deichar as filhas ir ao banheiro porque são novos, limpos. o que não acontecia nem na sede nautica e na social. hoje o clube tem uma vida social durante o dia e a noite. coisa que não era vista a muito tempo. os nossos funcionários são reconhecidos pelos méritos não por apandrinhamento. tem plano de saude, uniforme, alimentação e salario digno. não precisamos vir ao clube e se divertir em cima da miséria dos que nos servem. erramos em alguns pontos, com certeza. mais sempre tentando acertar. nunca por descaso ou omissão. amigo lacerda me despeço deichando um grande abraço. e vamos a vitória.