Total de visualizações de página

domingo, 9 de março de 2014

A PRIMEIRA BANDEIRA REPUBLICANA

Acabei de ler 1889 que narra o fim da monarquia e a proclamação da república. É o último livro da trilogia – 1808, 1822 e 1889 – de Laurentino Gomes que fez uma profunda pesquisa sobre a história do Brasil. Li os três livros e os recomendo para quem quer entender o nosso país.
“Brasil República. Bandeira mesma sem coroa.”
Era o que dizia o telegrama datado de 17 de dezembro e enviado do Rio de Janeiro, um mês após a proclamação. O almirante Custódio de Melo, comandante do cruzador Almirante Barroso, que fazia a circunavegação do globo terrestre, recebeu-o no Ceilão, atual Sri Lanka, pouco antes do Natal de 1889.
A mais sólida, estável e duradoura experiência de governo na América Latina, a Monarquia, com 67 anos de história, havia sido derrubada por um golpe militar, cedendo lugar à República.
O telegrama, continha instruções oficiais que determinavam: a bandeira continuaria praticamente a mesma com seu retângulo verde sobreposto por um losango amarelo. Desapareceria a coroa imperial que ocupava o centro do losango.
Até aquele momento ninguém sabia ainda o que colocar no lugar da coroa e que a nova bandeira seria entregue quando o navio chegasse à Nápoles, meses mais tarde. Um segundo telegrama dizia que, até lá, o comandante teria que improvisar:
“Ice agora mesma bandeira nacional,
substituindo coroa estrela vermelha.”
Custódio de Melo, então, mandou confeccionar uma estrela vermelha e a costurou sobre a coroa imperial. A primeira bandeira brasileira republicana que circulou pelo mundo ficou assim.
Somente ficou faltando o número 13 ou as letras P e T maiúsculas.

5 comentários:

Eduardo disse...

A fertilidade do seu cérebro é verdadeiramente assombrosa!O pior é que com a compra por atacado da brasileirada via BOLSA TUDO,é possível mais 67 anos de Bolivarianismo,ideal petista,(se Maduro e Cristininhha não forem pro saco antes).Te dás cuenta...

Eduardo disse...

Meio fora de contesto mas não resisto:
"O melhor programa social que existe chama-se EMPREGO.Ele garante dignidade ao ser humano,ao contrário de esmolas estatais"
Rodrigo Constantino.Economista brasileiro.Extraído de Palavras Cruzadas.Faço para tentar não esclerosar.Pense nisto!!!

Carlos disse...

Forçação de barra, pai. Custódio de Mello, como o texto diz, improvisou. Era obrigado por acordos internacionais a içar a bandeira do país de origem da embarcação. Então, colocou o símbolo que ou tinha a mão ou era mais fácil de fazer. A primeira bandeira OFICIAL, como o livro também informa, foi de listras horizontais verdes e amarelas com um retângulo verde estrelado na parte superior esquerda. Daqui a pouco você vai falar que o verde é das nossas matas e o amarelo da nossas riquezas... rsrs! Bjs, pai.

LACERDA disse...

Filho,

Como eu disse: foi a primeira bandeira brasileira republicana a circular pelo mundo.

Anônimo disse...

Ver um sujeito incomodado com um fato histórico e publicar frase de Rodrigo Constantino, um rapaz eternamente desmoralizado em público por Ciro Gomes não tem preço. Pior ainda é fazer uso de uma platitude qualquer contra o Bolsa Família quando o planeta inteiro o reverencia como o melhor programa de distribuição de renda e combate à desigualdade já implantado. O Império acabou, mas o vira-latismo ainda impera no Brasil