Total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

OUTRO 16 DE AGOSTO

Mais um ano de uso, nem tão bem usado quanto antes é lógico. Sei que é também, menos um ano da minha sedentária existência. Mas, com o orgulho de ser um dos responsáveis pelo elevado IDH de Mangaratiba.
Principalmente no quesito longevidade.
Nunca pensei em atingir os 76 com tudo funcionando corretamente sem precisar de qualquer estímulo químico.
Sei que não posso mais nadar até a praia da Batata. Os músculos não permitem. Subir a pé a serra do Piloto, nem pensar. O cérebro, porém, continua em perfeito estado. Estado da arte. Parece que tem apenas metade da idade cronológica.
Atualmente, o exercício que pratico é apenas intelectual. Acordo cedo e durmo tarde pra ficar mais tempo sem fazer nada. Sou um mandrião convicto, vagabundo e preguiçoso como um macunaíma branco, mas com algum caráter.
Tornei-me um gozador irreverente, sarcástico e, às vezes, mal compreendido. Uma agradável mulher, certa vez, disse que eu a inspiro e irrito e, há pouco, afirmou que admira o ser humano desagradável que sou. Eu diria quase humano. Talvez o seja porque não suporto a mediocridade, a hipocrisia e o bom-mocismo dos caipiras que têm a mente mais vazia que o seu currículo e que não gostam de mim. Sigo de bem com a vida, como sempre, amado por elas e odiado por eles.
Há muito que ultrapassei o prazo de validade de um brasileiro comum. Continuo fumando, bebendo e comendo de tudo. Até doces, eu como todo dia. Apesar da diabetes.
E não quero saber de médico nem de vacinas. Na última vez que me consultei – há mais de dez anos – o terrorista me disse que meu pâncreas estava falido e quis mudar meus hábitos. Proibiu-me refrigerantes, a cachaça e o consumo de embutidos (lingüiça, mortadela, presunto,etc). Açúcar nunca mais. Queria que eu fizesse exercícios. Preferi correr pra bem longe dos médicos.
Sei que se voltar lá e contar-lhe o meu modo de viver, ele vai me dar menos de um ano de vida. Não sabe ele que é justamente o que quero só para ver a Copa do Mundo e ser bisavô no ano que vem.
O Todo-Poderoso – Que Se amarra em mim – há de permitir que eu veja também a Olimpíada em 2016.
E - quem sabe? – vai me permitir votar no Lula em 2018.
Depois... Bem, depois a galinha pôs.

Um comentário:

Leila Castro disse...

Parabéns! Continue por muitos e muitos anos com esta força e inteligência!

Beijos e espero estar por aqui para ler você sempre!