Total de visualizações de página

sexta-feira, 11 de março de 2011

PARATY

Patrimônio Histórico Nacional, Paraty é uma bela cidade colonial que preserva seus encantos naturais e arquitetônicos.
Refúgio de artistas, hippies e índios caiçaras, Paraty tem 37.500 habitantes – apenas 1.300 a mais que Mangaratiba – e possui centenas de pousadas, bares e restaurantes; nenhum grande hotel, mas dezenas de locais históricos ou não, todos belos e preservados que merecem ser visitados; cachoeiras, centenas de embarcações sempre à disposição para visitas as suas inúmeras ilhas e 43 praias. Dezenas de alambiques que produzem as melhores cachaças do país. Bebi algumas delas. Um comércio maravilhoso no casario colonial onde se encontra o que não se vê em nenhum outro lugar como o artesanato local e o caiçara.
Paraty tem duas livrarias, um teatro, um spa indiano, uma casa de câmbio e, pasmem, um aeroporto. Coisinhas que cativam o verdadeiro turista nacional e estrangeiro. Nas praias, poucos quiosques que não apresentam a famigerada e ensurdecedora "música" ao vivo. Funk nem pensar. Foram seis dias sem ouvi-lo. Ia dormir sob o manto de um silêncio sepulcral e despertava com o canto dos pássaros.
Quer mais? Tem a Praia dos Pelados, em Trindade, onde o nudismo é permitido. Trindade foi um porto para os piratas que atacavam os navios em Paraty. Os moradores ainda falam em tesouros perdidos no mar. Nos anos 60, o lugar foi descoberto pelos hippies e, aos poucos, sua fama se espalhou.
Difícil é caminhar pelo Centro Histórico sobre aquelas pedras “pés-de-moleque”. Até pensei que os escravos que fizeram o calçamento estavam de muito má vontade com seus feitores. Mas, não. Soube que o calçamento era perfeito, porém, depois que fizeram o saneamento básico do local é que ficou assim.
Foi minha terceira vez em Paraty. Fiquei apenas seis dias, mas tomei um banho de civilização bem distante do carnaval funkeiro de Muriqui que novamente atingiu o auge da bosta, segundo a minha amiga blogueira que me pediu para beijar Paraty. Beijei-a todos os dias com meu olhar de admiração e inveja. Com meus ouvidos que se deliciaram apenas com o jazz e o melhor da música popular brasileira, à noite, nos bares. E com meu paladar saboreando a culinária local.
Ainda não deu para conhecer Paraty. Tenho que voltar lá outras vezes para conhecê-la melhor, ver e interagir com tanta gente bonita e educada.
Reproduzo abaixo o Calendário Turístico Cultural para 2011 em Paraty.
Ser secretário de turismo em Paraty é mole, até eu tiraria de letra. Tenho muita pena do pobre do Vitinho que recebeu como castigo a direção do turismo de Mangaratiba. O coitado já é motivo de críticas e chacotas injustificáveis, pois nem Jesus Cristo seria um bom Secretário de Turismo aqui.
Quando ouço falar em investimento no turismo de Mangaratiba, eu acho graça. Como?  O que temos a oferecer? Trilhas, trilhas e mais trilhas, algumas ilhas, cachoeiras invadidas, passeios à Angra dos Reis? Ou à Paraty? Não temos comércio nem cultura, não há história, as pousadas são quase inexistentes. E as mulheres bonitas fogem daqui nos finais de semana.
Nosso turismo se restringirá sempre ao Mediterranée e ao Porto Belo. Ou ao turismo predatório que os quiosqueiros adoram.

10 comentários:

leila castro disse...

Lacerda,

Não fique solidário ao Vitinho, pois quem não tem .., não faz trato com ....

Não sou tão desesperançada quanto a Mangaratiba, pois os perfis turísticos são diferentes, e podem ser direcionados, tanto para o mau turista, como para o bom turista.

Isto vai depender muito da população e dos gestores.

A natureza já ajuda, falta o investimento cultural, falta a educação cidadã, falta o incentivo a eventos e isto ajuda a intensificar um turismo melhor.

Paraty é um caso muito interessante, pois devido ao aparente "atraso" urbano, preservou seu casario, suas ruas e sua cultura colonial, atraindo turistas de fato. A cultura local e cultura dos que por ali aportaram, interagiram de forma espetacular e deram origem a uma nova cultura que preserva e acrescenta.

Temos que encontrar a nossa fórmula, e não será sem investimentos que isto acontecerá.

Tenho uma amiga, que saiu de Santos, fincou-se em Paraty, em Trindade. Passados alguns anos, ela dá aulas de inglês na rede pública, tem uma pousada, faz parte dos conselhos de Paraty e não é discriminada por ser paulista. E olha que é uma figura completamente "diferente" do comum.

Isto é cultura mesmo.

Cabe aos gestores, o direcionamento à partir de talentos, educação, eventos próprios para a região e principalmente unificar esta Mangaratiba que é distrital e não se conhece.


Agora, com tudo isto, pessoas bonitas não iriam dar um rolé por Mangaratiba?

LACERDA disse...

Leila,

Não se trata de solidatiedade. Até penso que quem aceita um castigo tão cruel pode ter algumas intenções ocultas.
Suas idéias para o nosso turismo é uma utopia. Gostaria de vê-la assumir a secretaria e tentar colocar em prática as suas quimeras.
Sem outras intenções ocultas, você cairia fora em muito pouco tempo.
Mas, se fosse bem sucedida, onde acomodaria a avalanche de turistas que seria atraída para cá? E como alimentá-la?
Será que o Mediterranée e o Porto Belo comportariam tanta gente?

leila castro disse...

Por isto sou pedra e não vidraça.

Uma coisa leva a outra. E se conseguíssemos implantar as utopias, a iniciativa privada se encarregaria das acomodações....

E você esquece que lazer não deve ser proporcionado somente para turistas, mas para a populção local também.

Ninguém vai a Serra, a Serra não vai a lugar nenhum, Conceição não vai a Itacuruçá e Itacuruçá não vai a Muriqui. O distrito de Mangaratiba, parece a central dos mortos, tem ares pesados e carrega o silêncio dos moradores.

Só penso que para isto tudo dar certo, é necessário profissionais em turismo, um intercâmbio entre os distritos, uma interação da administração com a população.

Olhe só, a Prefeitura de Águas Belas, por exemplo, teve a ideia de realizar uma feira para unir e valorizar o agricultor local e o sucesso foi grande. Alavancou a economia e passou a ser uma nova atração turística. Este foi só um exemplo que me lembrei, mas sei que existem outros.

Enquanto as secretarias não trabalharem em bloco, percebendo que uma área é ditretamente interligada a outra, ficaremos nesta guerra sombria de ações que não levarão a nada.

Vando Barboza disse...

Olá Lacerda,

Paraty é interessantíssimo.

Mas, tratando do colóquio aqui tratado, e puxado pela Leila, acrescento:

Política não é a arte de tudo fazer. É a arte do possível. Um passinho de cada vez. Depois vem outro e dá outro passo e assim sucessivamente.

É aquilo que nossa cultura não quer. Queremos as obras e ações que dão votos. E há pensadores e intelectuais nessa. É óbvio que os assentamentos e invasões só acontecem porque dão votos.

Citando Paraty: quem diria quem um Festival Literário seria um dos mais (se não o maior) do país? Quem diria? Mas acontece em Paraty e chama-se Flip.

Veja em Angra: há um dos maiores festivais de Teatro do país.

E Mangaratiba, o que há?

Sim, não temos pousdas, é bem verdade. Mas veja bem, novamente: em Paraty há um Festival do Camarão que acontece numa... ilha! Sim, numa ilhota com meia dúzia de casas e sem estrutura alguma e lanchas e barcos param por lá ouvindo um forrozinho ou outra banda local. Uma delícia.

E Mangaratiba? Já dei essa ideia no blog a alguns anos atrás: poderíamos fazer um festival da banana ou do peixe aqui. Ou dos juntos para dar markentig ao blog amigo. rs

Se houver demanda haverá oferta.

Mas, entendo o que diz: coloco tudo isso aqui mas creio muito pouco que alguém se disponha a fazer um plano turístico para implementar ao longo dos anos, com investimentos sérios em infra-estrutura, ação urgente de proteção as nossas Matas e incentivos fiscais.

Vou ser sincero: há alguém para fazer isso e deixar os louros para o próximo alcaide?

Tenho minhas dúvidas.

LACERDA disse...

O Aurélio diz que turismo é o conjunto dos serviços necessários para atrair turistas e dispensar-lhes atendimento por meio de provisão de itinerários, guias, acomodações, transporte, etc.
Turista, segundo definição aceita mundialmente, é um visitante que desloca-se voluntariamente por período de tempo igual ou superior a vinte e quatro horas para local diferente da sua residência e do seu trabalho sem ter por motivação a obtenção de lucro.
O nosso "turista" é aquele que vem com isopor e que bate e volta. Não fica nem doze horas.
Mangaratiba deve tentar buscar outra vocação.

Anônimo disse...

Amigo Lacerda turismo tem bastante todos os finais de semana tem FUNK DROGAS SEXO E MUITO MAIS,E PARA O VITINHO ISSO E MOLE POIS FOI ELE QUEM COMEÇOU EU QUERO VER E ACABAR COM AQUILO.Foi o pior carnaval de muriqui tinha de tudo menos policias,eu acho que todos os moradores de MURIQUI,deveriam se preocupar pois na praia eles mandam e ja estao tomando conta de muriqui todo,quando os bandidos se apoderarem de tudo nao tem como segurar por isso e problema de todos nos.,SALVEM MURIQUI AGORA ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS

Anônimo disse...

Seu lacerda,eu vi uma materia sua em que elogiava o |Capitão Darthan,enquanto uns sao bons demais outros são uma topera,pois nesta final de semana dia 12.3;2011 foi pior que o carnaval e eu que moro no predio em frente a bagunça liguei para o DPO e um tal de Sargt,GOMES foi muito grosso mal educado e muito mais falou que não iria fazer nada pois não era obrigação dele e ainda falou muito mais,entao Sr Capitao de mais educação a esse policial que por certo nao deveria estar ai muito obrgado Sr |Lacerda.

LACERDA disse...

Anônimo,

O que mais disse o Sgt. Gomes? Conta tudo, conta tudo. Sei que o telefone estava no viva voz e que várias pessoas ouviram o que ele disse sobre o prefeito.
Conta, conta...

leila castro disse...

Lacerda,

Não sei se é fato, mas dizem que ele falou que a primeira providência do prefeito foi acabar com o choque de ordem... tradução que fiz do que me contaram...para ficar mais suave.

Sharon Cohen disse...

Paraty é realmente uma cidade maravilhosa.
-Sharon

Pousadas Em Paraty