Total de visualizações de página

domingo, 2 de agosto de 2009

DOIS MESES OU SESSENTA E UM DIAS

Ontem, com aquela ampla falta de luz que começou às 10 horas e 10 minutos, dormi cedo.
E sonhei. Sonhei que estava no Iate Clube de Muriqui participando de mais uma audiência pública sobre segurança. Lá estavam autoridades da Guarda Municipal e das polícias Civil e Militar.
Público mesmo, quase ninguém. Creio que o povo já está cheio dessas audiências que não levam a nada.
Mais uma vez, os poucos presentes não puderam fazer uso do microfone para apresentar suas propostas, reclamações ou reivindicações. Foi permitido apenas a um cidadão falar em nome de todos. E fazer apenas uma pergunta a cada uma das autoridades.
Não sei como – somente mesmo em sonho – este cidadão que vos escreve foi escolhido para fazer as perguntas.
Dirigi-me primeiro ao representante da Guarda Municipal. Disse-lhe que não tinha nenhuma pergunta a fazer-lhe. E que estranhava a sua presença ali, pois a nossa Guarda Municipal não tem qualquer compromisso com a segurança, diferentemente do que ocorre em muitos outros municípios. Palmas na platéia.
Ao representante da Polícia Militar também não fiz qualquer pergunta. Apenas elogiei o seu trabalho e pedi que os cabos Carlos, Euzébio e Jacob, assim como os soldados Carlos e Mauro, jamais sejam transferidos de Muriqui. Fui muito aplaudido.
Cheguei mais perto do representante da Polícia Civil e disse que lhe faria apenas a pergunta que não quer calar e que estava na mente de todos os cidadãos de Mangaratiba. Talvez, até na mente, quem sabe, das autoridades ali presentes.
Fui seco e objetivo ao perguntar: “Quem matou Célio Dentista?”
Foi uma ovação, os presentes me aplaudiram de pé. A autoridade me deu voz de prisão afirmando que aquilo era um desacato. E caminhou em minha direção com algemas na mão.
Como sempre faço em meus sonhos, diante do perigo iminente: acordei.
E vi que, hoje, é dia 2 de agosto. Exatamente dois meses ou 61 dias ou 1.464 horas após o assassinato do vereador Célio Lopes, dia 2 de junho, em pleno centro de Mangaratiba e diante de várias pessoas.
Acordei exatamente no momento em que a luz voltava. Eram quase seis horas da manhã, completando mais de 19 horas de blecaute ininterrupto.
É muita incompetência... da AMPLA.

2 comentários:

leila castro disse...

Palmas! Palmas! Palmas! Palmas! Palmas!

QUIOSQUE 14 disse...

Sonhei
Que estava sonhando um sonho sonhado
0 sonho de um sonho
Magnetizado
As mentes abertas
Sem bicos calados
Juventude alerta
Os seres alados


Sonho meu
Eu sonhava que sonhava


Sonhei
Que eu era um rei que reinava
Como um ser comum
Era um por milhares
Milhares por um
Como livres raios
Riscando os espaços
Transando o universo
Limpando os mormaços


Ai de mim
Ai de mim que mal sonhava


Na limpidez do espelho só vi coisas limpas
Como a lua redonda
Brilhando nas grimpas
Um sorriso sem fúria
Entre o réu e o juiz
A clemência, a ternura
Puro amor na clausura
A prisão sem tortura
Inocência feliz


Ai meu Deus
Falso sonho que eu sonhava
Ai de mim
Eu sonhei que não sonhava
Mas sonhei...

Caro Lacerda , seu sonho esta tão perto da realidade dos fatos que acontecem em Mangaratiba .Ficar 19 horas sem energia elétrica e além de imcopetência da AMPLA falta de um governo sério e copetente que se preocupou mais em requisitar geradores para abrlhantar sua festa de "peão boiadeiro" do que responsabilizar e cobrar da Ampla soluções mais rápidas , gerando a insegurança total no Municipio.
Mas em breve acredito que teremos não um sonho e sim uma constatação de que a impunidade destes administradores serão varridas do solo de Mangaratiba pela justça .
ZARALHO