Total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

NOSSA SENHORA DA GUIA


A igreja localizada no centro de Mangaratiba será restaurada. Verba federal de um milhão e seiscentos mil reais será aplicada na restauração. É o que informa a Agência Brasil:
"O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou hoje que vai apoiar a restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia de Mangaratiba, no estado do Rio de Janeiro. Os recursos, não-reembolsáveis, no valor de R$ 1,6 milhão, foram aprovados no âmbito do Programa Nacional de Apoio à Cultura.
Segundo a assessoria de imprensa do BNDES, a matriz foi erguida no século 18, inicialmente como uma capela, permanecendo nessa condição até 1795, quando as obras foram concluídas.
A igreja foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1967."

3 comentários:

Fabricio disse...

Lacerda, quero convidá-lo para junto fazermos algumas ilações com os seguintes fatos:

Recentemente, recebí diversas solicitações de munícipes para que levasse ao conhecimento do Ministério Publico que a Prefeitura de Mangaratiba estava fazendo grandes obras no telhado da Igreja, sem a devida autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-Iphan. Esta autorização é obrigatoria, tendo em vista a Igreja ser tombada como patrimonio historico e qualquer obra a ser executada deverá seguir a orientação do Iphan e ser feita por profissionais competentes, com o objetivo de mantê-la dento de sua originalidade.

O Sr. Secretario de Obras do municipio, muito irritado, me informou por telefone que a obra estava sendo feita sem a autorização do Iphan porque era necessária e se solicitasse a "tal" autorização iria haver muita demora e quem estava pagando era a Prefeitura e desligou o telefone.

Agora voce traz a noticia da grana que será liberada pelo BNDES.
O que devemos fazer:
1- Comunicar o fato ao BNDES para rever os cálculos?
2- Comunicar o fato ao MPE soicitando a comprovação da urgencia da obra e rigorosa auditoria nas contas.
3 - Comunicar o fato ao TCE.

Porque você não faz uma pesquisa com seus leitores para que providencias, alem dessas, deverão ser tomadas?
Abraços, Fabricio.

Lacerda disse...

Além dessas providências que você sugere - e com a sua competência há de tomá-las - poderá fazer ainda uma denúncia ao IPHAN.
Quanto aos meus leitores, são ainda em número muito pequeno. Não comporiam uma amostragem representativa para a pesquisa.

Leonard - Coordenador disse...

Prezados, pertenço a Angra Brasil, autora e responsavel pelo projeto de Restauro da Igreja Matriz na qual pleitiou junto ao BNDES e foi contemplado com a verba dita, ja sendo o 3o projeto patrocinado por essa instituição, atestando nossa integridade e competencia.
Esse projeto foi desenvolvido e enquanto era aprovado junto ao Minc/IPHAN (com atraso superior ao dito em portaria), foi feito essa obra pela prefeitura. No inicio do restauro, levantamos a situação real dessa obra realizada, na qual avaliamos, e o IPHAN atestou, o que foi feito (não tenho ciencia do que foi proposto nem custos envolvidos, nem é nosso objetivo) está em precaria situação, com risco de desabamento pelo maderame podre e mal amarrado, com algumas infiltrações e a degradação de algumas partes internas pela entrada de agua durante a obra.
Sempre com o concentimento do IPHAN ja estamos efetuando o restauro do Telhado e de todo o proposto e patrocinado.
Nossa organização é responsavel e sempre trabalha junto a profissionais competentes, integros e dentro do que é obrigatorio e/ou recomendado para o melhor do monumento, mesmo sofrendo com uma grande burocracia e demora em alguns casos, na qual alguns procuram evitar.
Lembro tambem que o IPHAN é responsavel por essa fiscalização e controle, e toda e qualquer duvida, ele deve ser consultado, ja que todo o projeto aprovado e fiscalização da obra é de sua responsabilidade e toda a parte fiscal tambem é fiscalizado pelos auditores do MinC, Patrocinador e orgãos fiscalizadores do patrocinador entre a Mitra e outros.