Total de visualizações de página

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

CORRUPÇÃO

Nos Estados Unidos, não existe a figura do suplente de senador.
Isso deve ser coisa apenas de países subdesenvolvidos e corruptos como o nosso.
Lá, quando vaga uma cadeira no Senado, o governador do estado que o elegeu indica quem vai assumir o posto vago.
Vejam o que aconteceu, agora, no caso do senador Barack Obama – eleito pelo estado de Illinois - que deixa o Senado em 1º de janeiro. O governador de Illinois colocou a vaga à venda. Pediu inicialmente um milhão de dólares aos postulantes e disse que daria a vaga para quem pagasse mais.
O FBI – a polícia federal americana – gravou as conversas telefônicas do governador e colocou-o no xadrez. Pagou fiança e já está em liberdade. Lá, como aqui, cadeia é para quem não tem dinheiro.
Barack Obama disse que não sabia de nada, que não indicou ninguém para o cargo.
O brasileiro que tem complexo de vira-latas deve ter ficado assombrado com o fato. Para ele, corrupção existe apenas no Brasil. Jamais em um país de primeiro mundo.
Agora, calculem vocês, meio mandato de senador vale mais que um milhão de dólares. Quantos milhões o indicado vai ter que arrecadar para si, para a próxima campanha e para pagar ao governador que o indicou?
A corrupção sempre existiu, existe e existirá sempre em qualquer país do mundo.
Aqui, temos uma polícia federal que nunca – jamais, em tempo algum – atuou tanto e tão destemidamente contra a corrupção como agora. Fica parecendo que nunca houve tanta corrupção no Brasil. A verdade é que nunca houve tanta corrupção combatida.
Nesta semana mesmo foram presos juízes e desembargadores, seus filhos e advogados. Todos corruptos.
Lá, todos sabem, existem muitos juízes nas mãos da máfia. E nunca são presos.

3 comentários:

Fabricio disse...

Lacerda voce quer saber como me sinto com a corrupção que está enraizada na alma do nosso povo?

SINTO VERGONHA DE MIM

Sinto vergonha de mim,
Por ter sido educador de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim,
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia, pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez no julgamento da verdade,
a negligência com a família, célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação com o ser feliz a qualquer custo,
buscando a tal felicidade em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade para reconhecer um erro cometido,
a tantos floreios para justificar atos criminosos,
a tanta relutância em esquecer a antiga posição
de sempre contestar, voltar atrás e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim,
pois faço parte de um povo que não o reconheço,
enveredando por caminhos que não quero percorrer.

Tenho vergonha da minha importância,
da minha falta de garra, das minhas desilusões
e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor ou enrolar meu corpo,
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti, povo brasileiro!


“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça,de tanto ver agigantarem- se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”
(Rui Barbosa)

Lacerda disse...

Pois, é! E o Rui falecer em 1923.
Como eu disse, a corrupção sempre existiu, existe e existirá sempre.
Só nos resta ajudar a Polícia Federal a combatê-la, manter a dignidade e não querer levar vantagem em tudo.

Fabricio disse...

Lacerda, concordo com voce plenamente.
Recentemente tive o prazer de conhecer a Dra Gladys, Delegada da Policia Federal em Angra dos Reis.
Pessoa jovem, culta e inteligente lidera um grupo de policiais tb jovens de têm o desejo de mudar esta situação que estamos vivendo.
Tenho certeza que voce gostará de conhecê-los.