Total de visualizações de página

sábado, 16 de agosto de 2008

16 DE AGOSTO


O Aurélio define velho como gasto pelo uso, usadíssimo, desusado, antiquado, obsoleto.
Aos trinta minutos de hoje, completei 71 anos mais ou menos muito bem vividos e não me considero esse velho a quem o Aurélio atribui aquelas qualidades. Usadíssimo até que eu fui, mas não sou gasto pelo uso, desusado, antiquado nem obsoleto.
Também, não digam que sou idoso. Não me convidem para eventos da terceira idade. Isso não é comigo. Na verdade, creio que parei nos 35 anos. O corpo até que não, mas a cabeça sim. Sinto-me na flor da idade da razão. Embora a emoção continue sendo um dos meus sentimentos primordiais.
O que me faz permanecer assim, mesmo após superar o prazo de validade humana dos países mais desenvolvidos, se jamais segui os conselhos de vida saudável que a mídia nos enfia diariamente pela goela abaixo.
Há mais de 50 anos parei de praticar exercícios físicos. Atualmente, pago a um menor carente para caminhar por mim diariamente pela praia. Sou um sedentário com as articulações em perfeito estado. Meu exercício é cerebral ou sexual.
Como de tudo. Como gordura de todo o tipo, todo dia. Carne de porco, feijoada. Picanha, só aquela bem gorda e saborosa. Pele de frango, torresmo, presunto. Leite somente integral. Manteiga, nada de margarina. Não posso ver doce. Às vezes, como até demais. Apesar disso, não sou gordo. Possuo apenas uma acanhada barriga, erótica e bem simpática.
Tomo café o dia inteiro. Não sinto nada. Psicologicamente, sou normal a uma certa distância. Fígado, vesícula, intestinos, rins, funcionam perfeitamente. Meu sistema digestivo é campeão de eficiência. Nunca nega fogo todas as manhãs. Um coração dinâmico, sempre ativo e com mais amor p´ra dar do que político em campanha eleitoral.
Fumo desde os 11 anos. Um maço por dia. Marlboro. Quando bebo, fumo bem mais. Não tenho problemas respiratórios. Nem circulatórios.
Doenças nunca tive. Com exceção daquelas infantis. Aliás, tive dengue. Tratei em casa mesmo. Não vou a médico, nem tomo remédios.
Minto, tomo Melhoral quando tenho uma gripe ou dor de cabeça.
Certa vez fiz um check up completo. Foram mais de quatro horas sendo examinado por vários médicos. Fui obrigado a fazê-lo pela empresa em que trabalhava. O resultado, o único senão: pé-de-atleta. Chulé para os mais íntimos.
Qual será, então, o segredo dessa minha estranha longevidade tão saudável. Será porque sou feliz? Porque vivo há mais de quarenta anos com uma mulher bonita? Olha ela lá em cima com nossos escravos. Será porque tenho dois filhos formados e muito bem empregados? Será porque o patrão de nós quatro e mais as duas noras é o governo federal?
Além disso e do permanente exercício intelectual, só mesmo uma explicação divina. Deus me ama. Não pode ser outra a razão. E por que Ele gosta tanto de mim? Por que não me deixou ficar um velho doente como os outros?
Acho que eu sei o porquê. Nunca dei trabalho a Ele nem a Seu Filho. Nunca Lhes pedi nada p´ra mim.

4 comentários:

Carlos disse...

Parabéns pelos 71. Um forte abraço e um beijão do teu filho e de todos aqui de casa. Agora aposentadoria não é emprego federal não. Vc votou no homem e é o patrão dele. Ah, aproveita e paga o garoto para fazer exercício por mim, também. Bjs,
Carlos e mais 4!

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio disse...

Pai, parabéns! Estou com saudade... Veja bem: "saudade". Não sei por que tem gente que fala "saudades". E "ciúmes"? Por que meu Deus? Ciúmes só se for de mais de uma pessoa, ora bolas. Transformaram saudade e ciúme em palavras do tipo "lápis", mas não são.
Fugi completamente do assunto, foi mal. Parabéns aqui também, que eu ainda não tinha dado.
A propósito, o que tem a foto a ver com as calças?

lacerda disse...

Filho, a foto nada tem a ver com as calças. Mas, convenhamos: é uma boa foto. É ou não é? Os supostos escravos eram personagens de um filme que estava sendo produzido em Paraty.