Total de visualizações de página

domingo, 7 de junho de 2015

UMA DUPLA CAIPIRA FEDERAL

Vitor e Leonardo é o nome da dupla de policiais rodoviários federais arrogantes que ataca em Muriqui. Parece nome de dupla caipira. Não canta, mas afronta, ofende, injuria, insulta, quando pega alguém que imaginam em flagrante delito e sem qualquer possibilidade de defesa.
“Velho babaca mentiroso” – foi como o Vitor, de forma ultrajante e humilhante, agraciou meu cunhado, um senhor de 64 anos que, ano passado, passou por um estado físico muito crítico internado em hospital.
Tudo começou, quando a dupla deteve o carro do meu cunhado e exigiu documentos. Tudo correto, mas viram uma gaiola com um sanhaço no banco detrás.
“Comprou de quem o sanhaço? Quanto custou?” – perguntou Vitor, o mais arrogante.
“Não comprei, estou cuidando dele desde pequenino quando caiu do ninho” – respondeu a vítima humildemente.
Foi então que o arrogante jogou na cara sofrida daquele indefeso trabalhador brasileiro: “Velho babaca mentiroso, vamos para a delegacia”.
Atualmente, pra polícia federal, todos são culpados até provar sua inocência. Ao contrário do que determina o direito público internacional.
E foram para a 165ª em Mangaratiba. O arrogante ultrapassava os pontos de controle de velocidade a mais de 100km/hora pensando que meu cunhado, que ia atrás, fosse estúpido e mantivesse a mesma velocidade para ser multado eletronicamente. Muitas vezes, o arrogante teve que parar bem à frente para esperar a vítima chegar perto.
Na delegacia, meu cunhado tirou algumas fotografias e guardou o celular no bolso. O arrogante, demonstrando medo de aparecer nas redes sociais, meteu a mão no bolso da vítima e apagou as fotos, esquecendo-se, ou não sabendo, que existe uma nuvem que tudo guarda e que as fotos já tinham parado lá. A dupla caipira apresentou a queixa, acusando a vítima de crime contra a fauna e meu cunhado se defendeu contando a verdade. Apreenderam a gaiola com o sanhaço e o documento do carro.
Até o inspetor, que o tratou com respeito e registrou o caso, demonstrou desagrado com a ocorrência. Tentou justificar dizendo que a dupla caipira federal estava fazendo o seu trabalho. Meu cunhado discordou, afirmando que afrontar, ofender, insultar e injuriar uma pessoa de bem não é trabalho da polícia federal.
Após cerca de quatro horas liberaram o meu cunhado.
Ontem, ele apareceu aqui em casa e me contou a história. Naturalmente revoltado, indignado, humilhado e amargurado. Ou melhor dizendo: puto da vida com a polícia federal por nada poder fazer contra aquela dupla caipira insolente e arrogante.

N.L.: Agora pode. É só copiar o link desta postagem e colocar no facebook, onde o Vitor demonstrou medo de aparecer. Fico aguardando as fotos e a cópia da ocorrência.

4 comentários:

Eduardo,o imbecil disse...

Conheço essa arrogância.
Sofri pós 64.
Está acontecendo de novo:
PETISMO BOLIVARIANO.
Obs.Dilma não aceita esta atitude.OH GLÓRIA !!!

LACERDA disse...

Petismo bolivariano? Menos, cara. Menos preconceito.
Eles só prendem petistas.

Leila Castro disse...

Nem dá para comentar!!!!
Arrogância sem limites e repleta de ranço.

serginhopl disse...

a dupla
vitor(1ª voz) e leandro (sem voz) Uma pequena ave como um filho que bate asas e se foi.