Total de visualizações de página

terça-feira, 27 de outubro de 2009

IRENE

Recebi o comentário de uma leitora - chamada Irene - sobre a minha postagem intitulada PIBULLS e ROTWEILLERS, publicada em maio/09. Ela me chama de ridículo e mal informado. Como, talvez, ela jamais volte àquela postagem e não leia a minha resposta, reproduzo a seguir o comentário dela ipsis literis e a resposta. Aqui, é mais provável que ela leia a minha resposta.
"ESSA SUA OBSERVAÇÃO É RIDICULA. POR ACASO NÃO SABE QUE O ANIMAL É O ESPELHO DO DONO? SE O ANIMAL É ASSASSINO FOI CRIADO ASSIM POR ACASO NÃO SABE QUE O ANIMAL É INOCENTE? aNTES DE ESCREVER COISAS RIDICULAS E SEM SENSO PROCURE SE INFORMAR MAIS, QUEM DERA OS SERES HUMANOS SEREM SEMELHANTES AOS ANIMAIS."
11 de Outubro de 2009 15:53

LACERDA disse...
Irene, somente hoje li o seu comentário. Me perdoe se respondo no mesmo tom: RIDÍCULA É VOCÊ. Não costumo falar assim com uma mulher - será mesmo mulher? daquelas bem femininas? - sinto decepcioná.la, mas quem precisa se informar é você.
Por sua agressividade - não a sua, a do cão - e por provocar ataques, muitos resultando em morte, o Pit Bull (pequeno touro) foi banido em vários países. Como o Canadá, por exemplo.
Na Inglaterra, sua criação somente pode ser autorizada pela justiça.
Nos Estados Unidos, baniram a criação em vários estados e em muitos outros são aplicadas pesadas restrições à posse do feroz animal.
No Brasil, não há legislação específica, porém, a cada fatalidade reportada na mídia, inflama o debate na sociedade por leis mais rígidas e punição aos donos desses animais.
Você, Irene, deve ser uma daquelas que ainda acreditam que os animais somente matam para se alimentar. Saiba que animais matam por ciúme, por inveja, por poder, por prazer, para conquistar o lugar de outro. Só não matam por dinheiro.
O leão mais forte expulsa o mais velho e mata os filhotes dele para que as fêmeas voltem ao cio e transem com ele. O urso tem o mesmo mau costume. Quando encontra uma fêmea com seus filhotes, ele não titubeia: primeiro, mata os filhotes; depois, parte para o assédio sexual.
Agora que você foi informada, tente transfomar um "poodle" em um cão assassino.
Como eu disse em uma de minhas postagens, quem não lê, mal sabe, mal ouve, mal vê, mal escreve, mal pensa, mal argumenta, mal se comunica, mal...

2 comentários:

Anônimo disse...

Coitada da Irene... Tão ignorante.

leila castro disse...

Irene, Irene,Irene...
Tente viver com a força de seu nome.
Quando argumentar, não faça como os pitbulls, que enlouquecidos acabam levando pauladas de todos os lados.
Seja um poodle irritante como o meu, que com sua insistência e coragem não compatíveis com o seu tamanho, conseguem ser ouvidos.
Os poodles ganham uns gritos, levam uns empurrões, mas estão ali corajosamente prontos para o enfrentamento, sem colocar em risco a vida de outro cão ou de um ser humano.
Também te sugiro que pense como um golfinho, aprenda a viver como um
elefante e viva o amor como um beija-flor.
Paz!